Atribuições do Tecnólogo e as idéias distorcidas dos engenheiros

Veja o texto publicado recentemente pelo SINTESP acerca das idéias distorcidas atribuidas ao profissional TECNÓLOGO.

"O PL 2245/07, de regulamentação profissional, sofreu uma mudança significativa no artigo 2º que trata das atividades profissionais.

Infelizmente uma boa parte dos engenheiros, em particular civis, tem anunciado aos quatros cantos idéias distorcidas e erradas, quais sejam:

1. tecnólogo quer ser engenheiro - ERRADO, pois se assim fosse fariam engenharia.

2. tecnólogo faz um curso de 3 anos e quer fazer o que o engenheiro faz com curso de 5 anos - ERRADO, pois os 3 anos do curso de tecnologia é focado em 1 ou 2 campos de atuação e o de engenharia em vários campos de atuação.

3. As atividades: dirigir, coordenar, supervisionar, projetar, planejar, etc. são exclusivas de engenheiros - ERRADO, pois são verbos de ação e podem ser utilizados por qualquer profissional, pessoa, enfim todos os cidadãos. O que precisamos avaliar são as competências e habilidades dos tecnólogos adquiridas nos bancos escolares e daí definir em que campo de atuação exercerão essas atividades profissionais. Portanto, todos podem exercer todas essas atividades, basta definir, onde, como e o que, etc.

4. Tecnólogo deve trabalhar sob supervisão de engenheiro - ERRADO, essa relação hierárquica será estabelecida no setor produtivo e terá como determinantes a competência, experiência, enfim currículo do profissional e não uma determinação burocrática de uma resolução. Ninguém assume responsabilidades técnicas por resolução. Se essa idéia prevalece a reserva de mercado continuará e isso sim é um risco à sociedade. O país precisa de profissionais competentes, sejam eles tecnólogos, engenheiros, arquitetos, agrônomos, médicos, advogados, administradores, etc., etc.

5. O PL de regulamentação é um risco para a sociedade - ERRADO, a sociedade já corre risco com os bacharéis que fomentam a discordia e descredenciam os tecnólogos para garantir seus espaços com resoluções, leis, etc. Essa forma de legislar acoberta os oportunistas e incompetentes. Lembro que os tecnólogos não são ameaça são graduados para contribuir com o desenvolvimento social, econômico e tecnológico.

Bem, essa movimentação remete a entender que quanto mais os tecnólogos se organizam mais cria oportunidades de mudanças que levam a valorização, reconhecimento e principalmente a sua inserção. O PL de regulamentação não reserva mercado, simplesmente inclui os tecnólogos e a eles dá o direito de trabalhar de forma plena na área de formação e segundo suas competências. Esse é o conceito que o PL de regulamentação deve contemplar.

Como a questão é política, realmente as manifestações dirigidas aos políticos é importante, assim como é importante as negociações com todos os envolvidos.

Cada um de nós preferencialmente organizados nas entidades estaduais, deve trabalhar para esclarecer àqueles que não conhecem a formação de tecnólogo, bem como mostrar que o PL não afronta, não reserva, mas incluí o tecnólogo.

A aproximação com o Conselho Profissional também é importante, pois muitas decisões e ações no campo da engenharia são emanadas dos seus colegiados.

A máxima é que os Conselhos Profissionais de Fiscalização podem não ajudar, mas se quiserem pode prejudicar e muito, portanto participar desse colegiado pode ser uma oportunidade de entendimento, esclarecimento e construção das mudanças, sem descartar os embates naturais, jurídicos ou não. O importante é conhecer os possíveis causadores de problemas."

Sindicato dos Tecnólogos do Estado de São Paulo

164 comentários:

  1. João Pedro,

    Parabéns pelo artigo. Logo, logo estarei concluindo meu curso de tecnólogo, não em engenharia, mas, em Gestão da Tecnologia da Informação. É preciso divulgar muito sobre isto para ver se acaba de vez com o preconceito. Visite meu blog - O Gestor - que trata mais sobre TI, porém, tenho alguns artigos que tratam também sobre tecnólogo com informações muito úteis para ti e seus leitores. Se me permite, deixo aqui dois links:

    http://ogestor.wordpress.com/2009/06/19/tecnologo-em-gestao-da-ti-saiba-o-que-e/

    http://ogestor.wordpress.com/2009/10/09/6-de-outubro-dia-do-tecnologo/

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Caro Luiz,
    Obrigado pelo comentário. E a novela da aprovação do Pl 2245/07 continua. Outras áreas como a de TI as restrições não são tantas quanto as de engenharia.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. boa tarde, gostaria de saber se os tecnólogos já possuem registro no CREA, pois meu marido formou no IFTO campus palmas no tocantins e não conseguimos tirar o seu registro, você poderia me ajudar e dizer qual estado o tecnólogo pode tirar o registro... desde já agradeço.

      Excluir
    2. Isto depende da grade curricular do curso realizado. Por isto alguns cursos possibilitam o registro no CREA, já outros, no CRQ. Não é definição do conselho mas das competências definidas nos cursos.

      Excluir
  3. Olá Amigos, gostaria de saber se tem concursos mesmo para tecnólogos,em muitas empresas,prefeituras,ou seja, concursos em gerais.Sou academico do curso de Tecnologia em Meio Ambiente - UEM,e gostaria de saber mais,a que concursos poderei fazer, se poderei fazer pós-graduação,mestrado,doutorado, e enfim, num tem merdo de me formar em TECNOLOGIA,Agradeço muito vocês desde de já!
    abraço a todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. no PCI concursos há uma porrada de editas com ofertas de cargos para gestores ambientais de nível tecnológico e bacharel. eu ia fazer gestão ambiental, mas engenharia ambiental é mais complexo, e, tipo assim, chique!

      Excluir
  4. Caro amigo Alex,
    Concursos para Tecnólogos é um pouco difícil, mas na área ambiental costuma-se encontrar.
    Claro que pode fazer pós. Veja mais detalhes na cartilha do Tecnólogo.

    link: http://www.ant.org.br/

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Lutem para aprovar o PL, más sem vinculação com o CONFEA;
    Lutem por um CONSELHO FEDERAL DE TECNOLOGIA, ou então mantenham a regulamentação de atribuições definida pelo Ministério do Trabelho e Emprego;
    Definam a competência de suas atribuições, de forma realista( projetar um sistema de exaustão de uma residência, é muito diferente de um sistema que atenda um complexo industrial de grandes dimensões). Como exemplo, o odontólogo realiza seu trabalho de forma autônoma( ele não é assistente do médico!). É isso que interessa. Eu, se fosse minístro da educação, não iria me enpenhar na implantação de um sistema educacional voltado a formar "assistentes de engenheiros". Simplesmente frustante!!! Conheço a problemática, sou Engenheiro de Operação com MBA em Telecomunicações. Ocupei cargos de Engenheiro Pleno e Sênior, na indústria, mas CREA/CONFEA não reconhece isso!

    ResponderExcluir
  6. muito bom que seja mantida regulamentação e atribuições definida pelo Ministério do Trabelho e Emprego;

    ResponderExcluir
  7. Anônimo. Sou Tecnólogo em Meio Ambiente pela UNIPAC. e Técnico Agrícola, se não fosse o meu curso Técnico, estaria passando fome! diante da atual cunjuntura, nem o SINE reconhece essa "Graduação" espero que as autoridades acadêmicas possam intervir por nós!.
    14 de setembro de 2010.

    ResponderExcluir
  8. Caro Anônimo (Tecnólogo ambiental),
    Depende muito da região onde procura emprego. Confesso que no estado de São Paulo os Tecnólogos são bem aceitos.
    No meu caso, sou Tecnólogo em Edificações e trabalho em uma empresa de Engenharia de construção pesada há 5 anos. A empresa reconhece a categoria e minha remuneração é semelhante a dos engenheiros.
    Claro que o MBA em QSMS que fiz também ajudou um pouco a alavancar a carreira, por isso sempre digo, não fiquem estagnados, façam outra graduação complementar ou pós graduação.

    Abraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Tcgo. João Pedro. me formei em 1996, graduado em 1997 pela FATEC-SP e só agora retirei meu CREA. Mudei para MG e aqui ninguém conhece nem reconhece o Tecnólogo, sempre pensam que sou Técnico. É frustrante. Pela falta de aceitação do mercado acabei largando minha formação de lado e só agora, há 1 ano e meio de me formar em Engenharia Civil e também pelo PL 2245/2007 em andamento (com muita má vontade desses parlamentares em terminar o que já está praticamente garantido) é que resolvi dar entrada no meu registro profissional. Levou 4 meses e meio para o Conselho de Engenharia de Minas Gerais expedir minha carteira. Até parece que o Conselho nem acredita na formação de Tecnólogo. Concordo em parte com especializações, mas tem um momento da vida que a gente tem que parar de estudar e dedicar-se ao trabalho, senão a vida passa e a gente nunca sai da faculdade/universidade, mesmo que sejam cursos com poucas aulas presenciais. Também precisa ter retorno para que a gente possa se especializar, ou muito dinheiro disponível, o que não é meu caso. Parar de estudar não é necessariamente ficar estagnado. Depende muito da empresa ou do emprego em que se está. Estudar só por estudar, pra apenas ter "graduações e pós, mestrado e por aí vai", sem saber o que se quer, é pura perda de tempo. E a vida vai passando...

      Excluir
  9. Faço tecnólogo em seg. do trabalho do ensino a distância pela UNISA DIGITAL,no 4º módulo, o que vcs acham?Dê suas opiniões.

    ResponderExcluir
  10. Oi Eliane,
    O ensino à distância é uma forma inovadora de ensino onde busca conciliar uma boa qualidade de ensino com as dificuldades das diversas regiões do país.
    O Brasil aposta nesta modalidade como uma das alternativas de levar a educação aos lugares mais remotos.
    Acredito que o aluno que estuda nessa modalidade, pode ter o mesmo aproveitamento que o ensino presencial. Claro que, isso depende muito do aluno, pois exige muito mais disciplina e organização.
    Quanto ao curso de seg. do trabalho atualmente tem conseguido muitos avanços em relação ao reconhecimento. No entanto, ainda não tem regulamentação definitiva,além disso, os técnicos de segurança vem se mobilizando contra a regulamentação do curso.
    O Sindicato dos Tecnólogos vem lutando pela regulamentação, não só dos tecnólogos de segurança mais também de outras modalidades.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  11. Sou tecnólogo em gestão ambiental formado pela Unipac e atualmente estou cursando pós em:Pericia ambiental,Auditoria ambiental,e Gestão ambiental.
    Abraços
    21 de outubro 2010

    ResponderExcluir
  12. Parabéns ao Aônimo que faz pós em Perícia ambiental. É uma excelente área e o mercado está absorvendo bem esses profissionais.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  13. sou tecnologa em construção civil e tecnica em edificações, nosso curso é tao desconhecido q foi encaminhado minha carteira ao contador da empresa onde trabalho e nao sabia q CBO da minha formação - 2142-80 e quriam me registrar como tecnica em edificações - 3121, eu tive que entrar na net e achar o numero e passar para eles, acham que somos tecnicos e eu nao admito isso, pois tenho a formação de tecnica em edificacoes tambem e graduaçãoe em tecnologia em construção civil - mas infelizmente estarei fazendo engenhrai civil por nao temos valorização, vejo q na minha empresa eu ganho a metade do q um eng. civil ganha, e ele sabe metade do que sei, trabalho na area a 20 anos, e esse conhecimento ninguem tira de mim ,a mas de conhecimento nao pagamos nossas obrigações, e com muita revolta estrei engressando em 2011 na engenharia para poder ganhar mais e ter uma vida financeira mais digna.

    ResponderExcluir
  14. espero que logo logo possamos ver na sociedade as categorias profisionais trabalhando lada a lado sem congrontos particulares, os engenheiros nao fazem uma planta baixa quando se formam, mas podem assinar uma que o tecnico faz, e as vezes com erros que o proprio engenheiro só ve na prefeitura quando vai aprovar o projeto. ou seja ele nao é especializado e pode assinar o trabalho de outros, entao pq que negam ao tecnologo o direito de assinar plantas, projetos em edificaçoes, com limites de pavimentos, enfim,,,,

    ResponderExcluir
  15. Caros colegas Tecnólogos,

    Lamentavelmente vivemos esse corporativismo dos conselhos e o desconhecimento por parte da sociedade.
    Fico indignado com as atitudes de alguns que menosprezam e discriminam sem ao menos se interar da capacitação técnica da categoria.

    Me formei em 1997 na Unicamp em Campinas SP. Desde então trabalho na área, porém só tive o registro de Tecnólogo no ano passado. Toda vez que falo que sou Tecnólogo, tenho que explicar o que é.. falta divulgação da capacitação e atribuiçãos.

    É preciso mobilizarmos, participar de congressos da profissão. Os Blogs de discussões também são importantes para interarmos dos acontecimentos.
    O PL 2245/07 continua parado, aguardando a manifestação da Dep. designada ao projeto Dep. Maria do Rosário do PT. Com as eleições desse ano, com certeza não será mais ela. Com isso, o tempo vai passando e nós Tecnólogos continuamos discriminados.

    Para a colega acima que vai fazer engenharia, espero que não passe para o outro lado. Fazer engenharia pode ser uma alternativa para ampliar os conhecimentos teóricos,e também galgar mais oportunidades, porque os conhecimentos práticos os Tecnólogos já tem.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  16. olá a importancia da regulamentação da profissão de gestor ambiental, tecnologo se faz da mesma forma que devemos lutar por uma representação de classe.

    ResponderExcluir
  17. gervásio jose antonio10 de janeiro de 2011 11:39

    Salve a todos (as), vejo como necessidade, a organização dos gestores ambientais, de forma a responder necessidades em concurso publicos, a serem realizados, garantindo em leis afins, igual, ou, semelhante um % minimo de profissionais, nas empresas potencialmente, poluidoras, como medida preventiva e projetos que minimize, os danos possiveis na natureza.

    ResponderExcluir
  18. olá me chamo Nadja e estou me formando tecnóloga em seg.trabalho. estou muito receiosa de não me inserir no mercado de trabalho! Não vejo vagas de empregos para nós tecnólogos!
    o que fazer????

    ResponderExcluir
  19. O problema é o CONFEA que limita o tecnólogo. Seu artigo é excelente, dismistifica essa idéia que tecnólogo é técnico de nível superior

    ResponderExcluir
  20. katarinodivinesia@gmail.com18 de fevereiro de 2011 15:31

    Olá Companheiros, temos que mostrar para o mercado de trabalho que estamos aqui.....e que eles estão precisando de profissionais, pois as leis ambientais estão ai e legislações e ISOs precisam ser cumpridas, portanto tecnólogos...vamos em frente que atrás vem gente.

    prazerão.

    ResponderExcluir
  21. Amigos não se formem nestas porcarias de cursos, Me formei em uma porcaria destas e foi a mesma coisa que contiuar sendo técnico, praticamente niguem reconheçe tecnólogo (esta vergonha de governo podia acabar com estes cursos e para de enganar os cidadãos brasileiros). Então pergunto ao meu "amado" Brasil: Como ficam meus 3 anos perdidos na faculdade sem contar a quantia que gastei?

    ResponderExcluir
  22. João Pedro,
    quero parabenizá-lo pelo blog e pelas sábias respostas aos colegas tecnólogos. Demonstra ser consciente da nossa realidade profissional e ter muita experiência. Isso é importante pois muitos colegas desistem de seu diploma de tecnólogo, aceitando trabalhar como técnicos ao invés de se qualificarem como eu fiz e você também deve ter feito.

    Para aqueles que se qualificam não há mercado ruim. No entanto, para aqueles que esperam tirar proveito SOMENTE com um diploma, seja bacharelado ou tecnólogo - se não continuar aprendendo, se não continuar se aperfeiçoando - o mercado de trabalho vai descartá-los.

    Estamos na luta nor nossa categoria. SOU TECNÓLOGO, SIM!

    Parabéns!!!

    MOACIR GARCIA
    Tecnólogo & Educação
    http://tecnologoeeducacao.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. SOU TECNÓLOGO, SE FALAM TANTO EM PRECONSEITO NO BRASIL SOBRE RAÇAS, MAS OS TECNÓLOGOS ESTA SOFRENDO NA PELE, POIS OS ENGENHEIROS SÃO OS BONS E GANHOS PARA SUPERVISIONAR OS TECNÓLOGOS, SO QUE NÃO SUPERVISIOSA NADA %$$$$$$$$

    ResponderExcluir
  24. Olá João, gostaria de parabenizá-lo pelo blog e dividir com você a frustração do não reconhecimento profissional da nossa formação. Sou formado em Processos Gerenciais, curso da área administrativa, publicamente discriminado pelo CRA. Precisamos nos unir e lutar por nossos direitos. Passe no meu blog: http://espacodotecnologo.blogspot.com/
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  25. Por favor, poderiam me indicar um bom curso de formação em tecnólogo ou técnico em edificações nas cidades de São José dos Campos e São Paulo? O tecnólogo e o técnico em edificações podem assinar plantas e projetos?
    Obrigada

    ResponderExcluir
  26. Olá,

    Gostaria de agradecer a todos pelos comentários e conforme o amigo acima Tecnólogo da área de educação, não devemos nos limitar somente ao diploma. Precisamos buscar mais, continuar aprendendo, afinal o mercado está cada dia mais exigente.
    No meu caso meus amigos, sou Tecnólogo em Edificações formado na Unicamp fiz MBA em gestão da Qualidade, segurança e meio ambiente e também uma segunda graduação ADMINISTRAÇÃO.
    Com isso, temos sempre um plano B para atender as necessidades do mercado.
    Abraços a todos

    ResponderExcluir
  27. Gostaria de expor meu pesar, sou formada no curso superior em tecnologia de construção em edifícios pelo antigo cefet pb, atualmente IFPB, e hoje me encontro em luto, pois fui ao Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura aqui em João Pessoa na Paraíba (CREA-PB), e com outras palavras, mas com o mesmo sentido, me senti injustiçada ao saber que o tecnólogo não serve para nada, passamos 3 anos de nossas vidas estudando em uma instituição pública para sermos tratados como uns Zé ninguém, mais na hora deles receberem a anuidade a que se dirige nossa formação, eles aceitam e sem diferença no valor de engenheiro civil, que também, como a gente é superior, quando falo que tenho curso superior tecnológico, a resposta é sempre, sim sei técnico. É duro, todo emprego que consigo, é sempre como técnico, e quando algo vai melhorar, o CREA vem com uma dessas, e então, se esse curso realmente não serve de nada, e que o técnico é melhor, porque então as Instituições Federais abrem vagas para esses cursos? E eu não vejo razão para tal barreira, visto que sinceramente, os tecnólogos formados por essas instituições são bem preparados para o mercado de trabalho. Abraços a todos

    ResponderExcluir
  28. Prezada Ana Paula,

    Concordo com você. Esta é uma realidade em que vivemos. O governo federal se preocupa em ampliar o número de FATEC'S porém se esquece da regulamentação dos profissionais.
    Também enfrentei essa mesma dificuldade. Tive diversos registros como técnico, porém nessa última empresa consegui mudar para Técnólogo.
    Nós tecnólogos vivemos essa situação de injustiça há anos. O projeto de lei 2245/2007 continua no concgresso mas ainda sem aprovação.
    Nesse ano estou me formando em outra graduação: administração de empresas, ainda assim é apenas um plano B para galgar novas oportunidades.

    ResponderExcluir
  29. Caro Amigo... Boa Tarde...

    Referente ao Concurso Publico, Há uma vaga em um concurso que seria vaga para TECNOLOGO AMBIENTAL mas o mesmo, está sendo especificado que o tecnologo em SILVICULTURA e Engenheiros podem concorrer ao mesmo cargo. Está certo isso? e o que posso fazer? Pois no caso do SILVICULTURA não existe carga horária o suficiente na área meio ambiente.

    ResponderExcluir
  30. Gostei Muito do Seu Artigo.

    Meu Nome é Hebert sou Tecnólogo em Construção de Edifícios- formado pelo IFCE.

    Fico muito triste por essa situação No Meu estado que é o Ceará, pelo que eu entendi o Tecnólogo em construção Civil tem as mesmas atribuições do Técnico em Edificações., O pior é que eu fiz o técnico em Edificações e depois fiz o tecnólogo pensando que iria melhorar a minha situação profissional quanto as minhas atribuições, fiquei totalmente frustrado.

    ResponderExcluir
  31. Olá amigo que cursou o IFCE,

    Infelizmente vivemos essa realidade em nosso país. Enquanto não tivermos uma lei que ampare a profissão dos Tecnólogos esse tipo de prática irá continuar.

    Só relembrando um pouco a História, na década de 70 havia duas classes de engenharia (eng. plena e eng. de operação, posteriormente mudando para Tecnólogos).

    A FESP, Uma conceituada universidade de São Paulo ministrava os cursos de Eng. de operação. À época o MEC reformulou o ensino superior sob pressão dos conselhos de engenharia, extinguindo os cursos de engenharia de operação e nomeando-os TECNÓLOGOS.

    A FESP, em prol de seus alunos, ofereceu extensão das disciplinas para a graduação plena. O que é uma realidade até hoje. A FESP mantém uma grade específica para TECNÓLOGOS.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  32. GENTE. DIA 19/10/2011 A PL 2245/2007 FOI APROVADA E ESTÁ EM SEUS TRAMITES FINAIS DE COCLUSÃO. COM ESTA REGULARIZAÇÃO NOSSA CATEGORIA VAI PODER EXIGIR MAIS. ESTOU NA MESMA SITUAÇÃO, TANTO QUE TRABALHO EM UMA ÁREA TOTALMENTE DIFERENTE DE MINHA FORMAÇÃO.VAMOS TER UM POUCO MAIS DE PACIENCIA, POIS TECNÓLOGOS SÃO COM IRMÃOS MENORES QUE APANHAM DE IRMÃOS MAIORES, MAS UM DIA ELES CRESCEM E ALEM DE NÃO APANHAREM MAIS, FICAM COM AQUELA PEQUENA SEDE DE DAR O TROCO.e OS IRMÃOS MAIS VELHOS COLOCAM SUAS BARBAS DE MOLHO. VAMOS TER PACIÊNCIA.

    ResponderExcluir
  33. CÂMARA DOS DEPUTADOS

    COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA
    54ª Legislatura - 1ª Sessão Legislativa Ordinária



    RESULTADO DA REUNIÃO ORDINÁRIA EM 19/10/2011


    A - Requerimentos:


    11 - PROJETO DE LEI Nº 2.245/07 - do Sr. Reginaldo Lopes - que "regulamenta a profissão de Tecnólogo e dá outras providências".
    RELATOR: Deputado ANGELO VANHONI.
    PARECER: pela aprovação deste, com substitutivo.
    APROVADO POR UNANIMIDADE O PARECER.

    ResponderExcluir
  34. O que significa aprovado por unanimidade o parecer?. Já está valendo e o que representa para nossa categoria. Se é realmente um grande salto, por que entidades como sindicatos ou associações de tecnólogos não exploram esse assunto. Não há nada, nadinha, nadica de nada mencionado em lugar nenhum. Mas a notícia é verdadeira como conferi na íntegra. Pelo deputado Vanhoni, só faltam pequenos reajustes que já estão acertados. Quero ver mais empolgação da parte dos Senhores. Obrigado.

    ResponderExcluir
  35. Sou Tecnologa em Exploração de Petróleo e Gás (UNI GRANRIO), sou coordenadora do Curso Técnico em Petróleo e Gás, estou a quatro anos dando aulas e vejo os meus alunos entrarem nas empresas petrolíferas mas, eu não tenho abertura para uma entrevista... Parece até piada! Para tentar melhorar estou cursando MBI em QSMS para tentar ver se as portas se abrem, O que vocês acham?

    ResponderExcluir
  36. Boa tarde pessoal!

    Enviei um e-mail para a câmera do Deputados Federal sobre a PL - 2245/2007.

    Este PL foi despachado a três Comissões para que emitam seus pareceres, são elas:Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP);Educação e Cultura (CEC);Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC). Nas duas primeiras, já recebeu parecer pela aprovação, com apresentação de substitutivo. No momento, está na CCJC onde será designado relator para emitir parecer a ser votado pela Comissão. Sendo aprovado nas três, por se tratar de uma proposição sujeita à apreciação conclusiva pelas Comissões, o projeto já segue para o Senado, onde também deve ser votado e aprovado. Lembramos ainda, que é possível receber e-mails com as atualizações na tramitação das proposições em nosso portal, basta acessar o endereço fornecido acima e, no canto superior direito, localizar o botão "Cadastrar para acompanhamento". Neste local o senhor irá inserir seus dados. Caso alguma dúvida persista, não hesite em nos procurar. Atenciosamente,***************************************************************************
    Coordenação de Relacionamento, Pesquisa e Informação – Corpi
    Centro de Documentação e Informação – Cedi
    Câmara dos Deputados – Anexo II
    Praça dos Três Poderes – Brasília – DF
    70160-900
    Tel.: 0-XX-61- 3216-5777; fax: 0-XX-61- 3216-5757
    informa.cedi@camara.gov.br

    ResponderExcluir
  37. Prezado Fábio,

    Obrigado pelo comentário. É muito esclarecedor e inclusive para sanar dúvidas dos colegas que questionaram anteriormente sobre a tramitação do PL 2245/07 e se após a aprovação do parecer no CEC já estava valendo ou não. A resposta é não, pois ainda deverá ser apreciado´pelo CCJC e após aprovado ainda irá ao senado.

    Vamos aguardar.. Mas estamos quase lá. Agradeço muito aos colegas Tecnólogos pelas contribuições e apoio para a aprovação deste projeto.

    Abraços

    ResponderExcluir
  38. Olá Pessoal!

    Fiz uma pergunta para câmera dos Deputados sobre se o Técnologo em Segurança do Trabalho depois de todas as instâncias será inserido na NR - 4, que fala do SESMT(Serviço Especializdo em Segurança e Medicina do Trabalho),e me responderam.

    Senhor Fábio, Em complementação ao atendimento prestado, informamos que este Centro tem por objetivo e compromisso apoiar os trabalhos legislativos da Câmara dos Deputados por meio da organização e do tratamento da informação. A situação relatada exige interpretação de lei para sua aplicação e, portanto, demanda apoio jurídico especializado. Em razão do exposto, sugerimos buscar orientação na Defensoria Pública de sua cidade, nos diversos serviços jurídicos oferecidos pelas faculdades de Direito, nos sindicatos de categorias ou, ainda, nas seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil. Permanecemos à disposição. Atenciosamente,***************************************************************************
    Coordenação de Relacionamento, Pesquisa e Informação – Corpi
    Centro de Documentação e Informação – Cedi
    Câmara dos Deputados – Anexo II
    Praça dos Três Poderes – Brasília – DF
    70160-900
    Tel.: 0-XX-61- 3216-5777; fax: 0-XX-61- 3216-5757
    informa.cedi@camara.gov.br

    ResponderExcluir
  39. Boa tarde!
    Já estão realizando concurso para Técnologo.Um exemplo foi a SABESP,IFBA,IFPE,PETROBRÁS,isto é um bom sinal.
    Vamos a luta!
    Continue enviando e-mail para a câmera dos Deputados e entrando no blog para trocar informações.

    ResponderExcluir
  40. Antonio Carlos Ribeiro14 de janeiro de 2012 15:44

    Todas as representações nos estados, devem se mobilizarem e provocar uma Audiência Pública e através desta conseguirem uma Moção de Apoio a nossa PL na CCJC, assim sendo, chegaremos ao Senado fortificados.

    ResponderExcluir
  41. Sou tecnólogo em automação industrial, estou cursando uma pós-graduação em engenharia da qualidade. Gostaria de saber se depois de formado, posso ser engenheiro da qualidade, ou apenas trabalhar na área em outras funções.
    Estou no momento fora do mercado de trabalho, e mesmo graduado, registrado no CREA-SP, e cursando a pós, estou com dificuldade para conseguir uma recolocação profissional, me sinto cansado de ser descriminado pela minha formação, espero que no futuro isso mude.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  42. como todos vcs, também sou formado em tecnologia de seg no trabalho e parece o que da para entender e que essa regulamentação vai sair logo, o crea já colocou na resolução 1010 as atribuições para quem cursos tecnologicos então as coisas vão acontecendo de forma natural sem muita pressa

    abçs

    ResponderExcluir
  43. RESOLUÇÃO NORMATIVA CFQ Nº 245, DE 20 DE JANEIRO DE 2012


    Define as atribuições das categorias de Profissionais que menciona, registrados em CRQs, atuantes na área Química da Segurança do Trabalho.

    O Conselho Federal de Química, no uso das atribuições que lhe conferem os artigos 8º, alínea f, 1º, 15 e 24 da Lei nº 2.800 de 18/06/1956, e tendo em vista os mandamentos dos artigos 326, 330, 332, 337 e 341 do Decreto-Lei nº 5.452/43;

    Considerando o contido nos artigos 1º, itens IV e V, 2º item IV, alíneas a e g, e artigo 4º alíneas f e i, do Decreto nº 85.877/81;

    Considerando os termos da Resolução Normativa nº 240/2011 lastreada no Decreto suprarreferido, relativos à Segurança do Trabalho;

    Considerando a Norma Regulamentadora nº 15 da Portaria 3214/78 do Ministério do Trabalho, cujos Anexos 11, 12 e 13 versam sobre atividades da área da Química;

    Considerando que para o controle adequado dos poluentes dentro da indústria, é necessário o conhecimento do processamento industrial, incluindo aí, as matérias primas e básicas utilizadas, as reações intermediárias e os produtos finais;

    Considerando que as poeiras, névoas, neblinas, fumaças, fumos, gases e vapores, que se desprendem das atividades industriais no Ar-Ambiente de Trabalho, podem constituir-se veículos de substâncias tóxicas, com graves prejuízos à saúde do trabalhador;

    Considerando que o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) é recomendado na NR-6 do Ministério do Trabalho;

    Considerando que o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) estatuído na NR-9, envolve aplicação de conhecimentos de Química;

    Considerando que a NR-13 estabelece a necessidade de que as caldeiras e vasos de pressão sejam supervisionados por "Profissional Habilitado";

    Considerando que a supervisão de caldeiras e vasos de pressão, exige conhecimento de controle da pressão e temperatura de operações e, em especial, do tratamento e qualidade da água, relacionando-os com a capacidade do equipamento;

    Considerando a NR-16 que em seus anexos 1 e 2 aborda as atividades e operações perigosas, envolvendo substâncias químicas explosivas e inflamáveis;

    Considerando a NR-25 que prevê a disposição de resíduos industriais gasosos, líquidos e sólidos;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nilows,
      Este blog tem por objetivo informar e lutar pelas injustiças feitas a uma categoria profissional que são os Tecnólogos. Não tem por objetivo agredir ninguém.
      Peço a gentileza que se você não tem nada a acrescentar ao blog e somente de agredir a categoria, peço que não poste nenhum comentário.
      Aliás, procure se informar melhor pois desconhece os tecnólogos e também acerca de minha formação.. pois Tecnólogo é somente uma de minhas graduações.
      Você se engana muito ao dizer que Tecnólogo não é curso superior.. Procure ler melhor a respeito.. a propósito, quando fiz meu MBA eu só tinha a formação de Tecnólogo.

      Excluir
    2. Essas pesssoas que agridem a categoria são leigas e precisam mais se informar lembrando elas que, na Europa e nos Estados unidos os tecnólogos fazem parte efetiva da base industrial, porque que aqui tem que ser diferente?LÁ é normal as pessoas optarem por um curso tradicional ou tecnologico que a aceitação é a mesma voçês que criticam a categoria procure pesquisar e evoluir suas ideias .

      Excluir
  44. Considerando que os resíduos e subprodutos desprendidos para o Meio Ambiente, citados nas Normas Regulamentadoras supra mencionadas são em sua quase totalidade, produtos químicos poluentes;

    Considerando que a eliminação dos agentes contaminantes do Ar-Ambiente, dos cursos d'água e do solo, exigem a aplicação de conhecimentos de Química, nos termos do artigo 341 da CLT;

    Considerando que a pesquisa do tóxico original e seus metabólitos no trabalhador se constituem em análises químicas;

    Considerando a necessidade de serem corrigidos lapsos de entendimento sobre a abrangência das atividades da área da Química, na Segurança do Trabalho;

    Considerando que as ações praticadas nesta área específica, visam, primordialmente, a Segurança e a Integridade Física e Psicológica do Trabalhador, com a consequente preservação de sua Saúde, resolve:

    Art. 1º São atribuições dos profissionais registrados em CRQs citados na Resolução Normativa nº 240/11 do CFQ (Químicos, Químico Industrial, Engenheiro Química, Engenheiro de Segurança e Tecnólogo de Segurança do Trabalho), além daquelas explicitadas na referida Resolução e na Resolução Normativa nº 237/11 do CFQ, as atividades relacionadas a seguir, relativas à Segurança do Trabalho na área de Química:

    1 - Vistoriar, emitir relatórios, pareceres periciais e laudos técnicos, de áreas insalubres e de periculosidade; indicando as medidas a serem adotadas, de controle sobre o grau de exposição a agentes químicos, físicos, biológicos e ergonômicos.

    2 - Supervisionar, coordenar e orientar os serviços de Segurança do Trabalho, referentes à neutralização dos riscos mencionados no item anterior.

    3 - Supervisionar as condições de segurança relativas às instalações e equipamentos, com vistas a prevenir quanto aos riscos químicos e de evitar ou minimizar a poluição do ambiente de trabalho.

    4 - Acompanhar os processos da aquisição e expedição de produtos químicos e de equipamentos, cuja manipulação, armazenamento, transporte ou funcionamento possam apresentar riscos de poluição ou contaminação do ambiente de trabalho.

    5 - Assessorar na elaboração de projetos e reformas de instalações e equipamentos na área da química, identificando os pontos de riscos, e indicando os dispositivos de segurança individuais e/ou coletivos, inclusive quanto a pressões e temperaturas.

    6 - Elaborar plano de combate a incêndio e de sistema de ventilação em ambiente de trabalho, na área química da Segurança do Trabalho conforme NR-23.

    7 - Elaborar programas e políticas de prevenção na área da Segurança do Trabalho, estabelecendo diretrizes, com vistas a evitar as DOENÇAS PROFISSIONAIS, e orientando os trabalhadores quanto aos riscos químicos profissionais e sua prevenção.

    8 - Executar as Análises químicas de poluentes do Ar-Ambiente do Trabalho e do tóxico original e seus metabólitos, no trabalhador, encaminhando os resultados das mesmas, com parecer conclusivo, ao Médico do Trabalho.

    Art. 2º As atribuições dos profissionais referidos no item 8 do artigo 1º desta Resolução, serão concedidas após o estudo do currículo escolar do profissional, pelo Conselho Federal de Química.

    Parágrafo único. Aos profissionais já registrados, são conferidas as atribuições plenas conforme o art. 1º desta Resolução.

    Art. 3º Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação no DOU.

    JESUS MIGUEL TAJRA ADAD

    Presidente do Conselho

    SUELY ABRAHÃO SCHUH SANTOS

    ResponderExcluir
  45. Bom dia!
    Saiu o concurso do SAAE de Alagoinhas BA, para o cargo de Tecnologo em Segurança do Trabalho.
    As inscrições no site:www.seletaconcursos.com.br, até o dia 18 de março de 2012.

    ResponderExcluir
  46. Olá pessoal!

    Só falta uma comissão da câmera dos deputados para regulamentar a nossa profissão. Devemos enviar várias mensagens para câmera solicitando essa aprovação.

    PL 2245/07

    ResponderExcluir
  47. RES: FALE CONOSCO - DA27102654​769
    Entradax


    Central de Comunicação Interativa/SECOM 0800@camara.gov.br
    09:07 (12 horas atrás)

    para mim


    Prezado Senhor Fábio, Recebemos sua mensagem e a encaminhamos ao Senhor Deputado Ricardo Berzoini, presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania - CCJC. Colocamo-nos sempre à disposição e agradecemos o seu contato. Central de Comunicação Interativa/Câmara dos DeputadosDisque-Câmara 0800-619619

    ATM03



    De: fabiodamasc@gmail.com [mailto:fabiodamasc@gmail.com]
    Enviada em: segunda-feira, 12 de março de 2012 14:36
    Para: Central de Comunicação Interativa/SECOM
    Assunto: FALE CONOSCO - DA27102654769


    FALE CONOSCO - DA27102654769 - legislacao
    Ação: Reclamar
    Nome: Fábio Alan Santana Damasceno
    E-mail: fabiodamasc@gmail.com
    Telefone: (71) 91629799
    Cidade: Salvador-BA
    Logradouro:
    Complemento:
    Número:
    Bairro:
    CEP:
    Mensagem: Boa tarde! Porque a demora de designar um relator da CCJC para PL 2245/2007? Nós técnologos estamos aguardando ansiosamente essa regulamentação.

    ResponderExcluir
  48. Cara, muito bom seu comentário... os tecnologo sofrem muita restrições, aqui no Ceará, não se pode fazer nada.
    Valeu... nos ajude a fundar um sindicato aqui no Ceará.

    ResponderExcluir
  49. Boa noite!
    Graças a Deus a Pl está andando.

    21/03/2012 Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC )

    Designada Relatora, Dep. Fátima Bezerra (PT-RN)

    ResponderExcluir
  50. Prezado Fábio,

    Obrigado pela sua participação no BLOG. Isso aí, vamos torcer e pressionar os deputados com e-mails. Parabéns Fábio pela sua atitude de reclamar da demora da designação de um relator para a PL. Vejo que surtiu efeito.

    Abraços

    ResponderExcluir
  51. Muito Obrigado João!
    As coisas só acontece com luta!
    Nunca devemos desistir dos nossos sonhos!

    ResponderExcluir
  52. Sou Tecnólogo Civil em Edificações desde 2002, formado na UEVA-CE, tenho buscado meu espaço, sei que a luta é grande, mas sempre acreditando que dias melhores virão. Tenho um escritório voltado a minha área ( projetos e construções em edificações).
    Sei que a resolução 313 de 1986, veio nos prender aos engenheiros. (que é o mais complicado de aceitar), porem procuro ver o lado bom disso tudo, é que ela não me proibi nada.vejam só;

    Art. 3º - As atribuições dos Tecnólogos, em suas diversas modalidades, para
    efeito do exercício profissional, e da sua fiscalização, respeitados os limites de sua formação,
    consistem em:
    1) elaboração de orçamento;
    2) padronização, mensuração e controle de qualidade;
    3) condução de trabalho técnico;
    4) condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou
    manutenção;
    5) execução de instalação, montagem e reparo;
    6) operação e manutenção de equipamento e instalação;
    7) execução de desenho técnico.

    Parágrafo único - Compete, ainda, aos Tecnólogos em suas diversas modalidades,
    sob a supervisão e direção de Engenheiros, Arquitetos ou Engenheiros Agrônomos:
    1) execução de obra e serviço técnico;
    2) fiscalização de obra e serviço técnico;
    3) produção técnica especializada.

    Então nestes serviços já cobro um valor para custear a despesas com estes profissionais.
    Enfim isso não é legal. Temos todo o potencial de sermos independentes.
    Foi um meio que encontrei pra me animar e ser hoje ate um exemplo profissional para outros.
    Então TECNOLOGOS se animem...corram atras...mostrem acima de tudo...competencia, qualidade...tenho certeza que não devemos nada a outras profissões correlatas. Não podemos é baixar a cabeça, Temos o nosso Valor.
    Abraços a todos,
    Edson Silva
    Tecgo Civil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Edson,
      Achei muito interessante sua atividade. Realmente é uma forma de dar a volta por cima e atuar na sua área. Está respeitando os limites de sua formação e aplicando seus conhecimentos. Parabéns!!
      É lamentável a situação dos tecnólogos. Sou formado desde 1997 e inicialmente tentei fazer o mesmo que você, abrir um escritório e trabalhar com projetos.
      Cheguei a fazer alguns projetos e correndo atrás de assinuatura de um eng. Acabei desistindo e entrei numa construtora onde estou até hoje.

      Abraços

      Excluir
  53. Vamos à luta, está chegando a hora.

    Gostaria de estar errado neste entendimento, acredito que não estou, por isso o que nos resta é lutar! Tive estudando o assunto neste final de semanas e lembrei de todos nós...

    Vocês, com certeza, devem saber sobre a PL 2245/07. Abaixo o texto que enviei a Câmara dos Deputados pelo sitio: http://www2.camara.gov.br/participe/fale-conosco/fale-com-o-deputado/fale_conosco_form_deputado, talvéz ache interessante comentar algo lá também...

    Sobre a PL 2245/2007, no caso das profissões reguladas pelo sistema CONFEA / CREA, sou Tecnólogo de Edificações atuante e sofro na pele o que a referida PL propõe resolver. Venho por meio deste, expor algumas situações que a meu ver ainda não estão contempladas na PL e propor novas considerações, pois caso contrário, poderão dar brecha para quem é contrario a proposição. Sendo mais específico, os CREAS e o CONFEA em geral são contrários, pois o corpo técnico e administrativo deles é formado por engenheiros e sabendo-se que eles não querem dividir o mercado conosco vão dizer que concordam agora, porém, se não tomarmos cuidado, eles continuaram reservando o mercado de outras formas, este é o motivo pelo qual venho pedir que considerassem estas novas possibilidades.

    Antes de apresentar minha proposta gostaria que analisassem comigo, nas entrelinhas, os fatos citados abaixo:

    1º - A letra "f" do Art. 27 da Lei nº 5.194, de 24 DEZ 1966 permite que o CONFEA crie resoluções, ou seja, que os engenheiros de lá reservem o mercado a eles, e isso é lei em...;

    2º - A resolução 218 de 1973 (criada pelo CONFEA) já previa que os Tecnólogos pudessem responsabilizar-se tecnicamente pelas atividades de 9 a 18 da referida resolução, excluindo-se automaticamente as atividades de 1 a 8 (inicia-se aqui a reserva de mercado, pois estas também são nossos objetivos segundo a PL 2245/07, no âmbito de cada modalidade). Em 1986 percebeu-se que as atividades 11 (Execução de obra e serviço técnico), 12 (Fiscalização de obra e serviço técnico) e 13 (Produção técnica e especializada) estavam sendo bem absorvidas pelo mercado e consequentemente sendo rentáveis a nós, então os engenheiros do CONFEA criam a resolução 313 tirando-nos estas atividades, pois ser supervisionado por engenheiros é o mesmo que retirar. Deram-nos em troca as atividades: 6 (Vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico), 7 (Desempenho de cargo e função técnica) e 8 (Ensino, pesquisa, análise, experimentação, ensaio e divulgação técnica; extensão) que na época não eram rentáveis, porém até 1990 a atividade 6 (Vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico) teve boa absorção no mercado passando a ser, porém mais e mais uma vez nos deram uma rasteira, criaram a resolução 345 reservando esta atividade a eles... Entendeu? Sempre vão dar um jeito de reservar o mercado, pois já estão acostumados a fazer isso conosco a 39 anos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado colega. Essas resoluções são uma verdadeira teia de interesses. Enquanto o CONFEA tiver pessoas tendenciosas (sempre teve né?) ele pode fazer o que bem quiser.

      Excluir
  54. Cleiton (http://www.creadigital.com.br/go/csouzagyn)12 de maio de 2012 08:09

    Minha sugestão é a seguinte:

    1º - Em se falando de classificação das atividades de 1 a 18 a resolução 1.010 de 2005 do CONFEA em seu anexo I é bastante detalhada quanto a isso. Sabendo-se que os CREA’s estão se adequando internamente para sua implantação (instalação de um novo sistema de informática, estão até mesmo dando treinamento aos colaboradores), considerando que ela em pouco tempo será realidade, sugiro que a classificação das atividades em nossa lei seja idêntica às do referido anexo da referida resolução. Vale ressaltar ainda que na sua essência, entendo que ela continuaria reservando o mercado aos engenheiros, pois trata-se de uma resolução criada conforme a letra "f" do Art. 27 da Lei nº 5.194, de 24 DEZ 1966 que permite que o CONFEA crie resoluções... Entendo que se trata de um projeto salutar, porém muito amplo envolvendo desde a formação acadêmica, cadastro das universidades, seus cursos etc., mesmo assim acho que ela entrará em vigor em pouco tempo, por isso sugiro a adequação das nossas atividades a ela, porém como lei federal evitando que o CONFEA mais uma vez nos proíba de atuar.

    2º - Sabendo-se que a palavra “tecnólogo” em sua essência trata-se de título acadêmico, assim como “bacharelado” ou “licenciatura” e que foi usado de forma discriminativa no passado, sugiro que o nome profissional seja: Engenheiro Especialista em ... (de modo que ... seja a modalidade que o profissional formou, ex. edifícios, estradas etc.).

    Isso é tudo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De acordo...parabens pelas observações
      Edson Silva

      Excluir
  55. Cleiton (http://www.creadigital.com.br/go/csouzagyn)12 de maio de 2012 08:23

    Boa tarde prezados Engenheiros Especialistas!

    Engenheiros Especialistas, esta é mais sugestão minha diante de tanta discriminação, não somente do CREA, mas principalmente do mercado de trabalho, portanto sugiro o abolimento do TÍTULO PROFISSIONAL "Tecnólogo". Como dito anteriormente Tecnólogo trata-se de TITULO ACADÊMICO, assim como bacharelado ou licenciatura espero que entendam. Para elucidar, abaixo e em anexo mais algumas discriminações do mercado:

    Um dos critérios para ser avaliador da CEF


    •Vistoria:
    –NBR 14653-1:
    7.3.1: “nenhuma avaliação poderá prescindir de vistoria(...)”.
    7.3.2: “a vistoria deve ser efetuada pelo engenheiro de avaliações(...).

    Critério para aceitação de um imóvel novo, (Vejam aqui o quanto o nome de tecnólogo é tendencioso a um NÃO, pois nem ao menos é citado)

    ØART cujo responsável é um Técnico de nível médio, na modalidade Edificações, só é aceita para edificações individuais até 80 m2 e desde que não constituam conjuntos residenciais e não implique em estruturas de concreto armado ou metálica. Exceção ocorre em relação ao CREA-GO, que admite esta ultima possibilidade para os Técnicos em Edificações.

    Abaixo mais um formador de opinião...

    http://ruijuliano.com/blog/oportunidades/tecnologo-pode-ser-perito-judicial-i

    Gostaria de saber dos nobres colegas suas opiniões? Exclusivamente sobre o assunto, "Título Profissional", o que vocês acham de brigarmos pelo TÍTULO PROFISSIONAL de "Engenheiro Especialista em ..." Detalhe o Título profissional intitulado de “Tecnólogo” foi referenciado primeiramente na resolução 218, lemrando que resoluções são criadas pelo CONFEA de acordo com seus interesse e isto está suportado pela lei federal 5194.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Cleiton,
      Obrigado pela sua participação no meu blog. Seja bem vindo!!
      Também sou Tecnólogo em edificações, formado pela Unicamp em Campinas. Convivo com essa situação ridícula desde minha formação em 1997.
      É lamentável como o governo investe milhões na criação de novas faculdades de Tecnologia. Aqui no estado de são Paulo (FATEC'S)e não se preocupa na reserva de mercado aos profissionais formados por essas escolas.
      Muitos foram os avanços conseguidos pelos sindicatos dos tecnólogos, tanto em SP como em outros estados, mas ainda continuamos sendo discriminados.
      Enquanto não tivermos o PL 2245/2007 aprovado, continuaremos na mesma.
      Em relação ao que disse "MUDANÇA DE TÍTULO", ao meu ver é como voltar a estaca zero, ou seja, esquecer o PL 2245 e tudo que conseguimos até hoje.
      Mudar o título, significa uma nova resolução no CONFEA. Contudo, não deixa de ser uma idéia. Claro teríamos maior notariedade, mas a briga seria muito maior da que temos hoje.
      Lembra-se qual era o título anterior ao "TECNÓLOGO" antes era "ENGENHEIRO DE OPERAÇÃO", no edntanto durou pouco, de 1969 a 1975.
      Veja a noosa história em meu outro blog: http://tenhoogulhoemsertecnologo.blogspot.com.br/2010/10/historia-dos-tecnologos-no-brasil.html?zx=caa07a2664ec273f

      Abraços,

      Excluir
  56. sou tecnico em desenho de projetos (SENAI-SP), tecnologo em construção de edificios (CEFET-SP), e estou cursando engenharia civil, pois a realidade é outra muitas empresas discriminam os tecnologos registram os mesmos como tecnicos e pagam menos ou igual a um tecnico, fiz o curso e me arrependi, só seve como diploma de curso superior, pra concursos pouquissimas instituições aceitam este profissional, mimha sorte é que ja era tecnico pois senao fosse ainda estaria desempregado como muitos colegas que se formaram e não atuavam na area, e portanto a grande maioria foi cursar ou fazer a complementação o curso em engenharia, alem do mais os professores todos engenheiros á avisavam que tecnico e tecnologo no final do processo iriam servir o cafe para os engenheiros, infelizmente uma pura realidade, por isso que hoje em dia eu indico para qualquer jovem primeiro cursar um curso tecnico de preferencia no senai e depois de estar inserido no mercado, não peder tempo com o tecnologo e ir direto para a engenharia

    ResponderExcluir
  57. Quando vocês pegarem e passarem por disciplinas como Termodinâmica, Resistência dos Materiais, EDO, Algebra Linear, e outras vão ver que o conhecimento limitado passado em um curso tecnológico realmente não supre todos os porquês que um trabalho técnico de Engenharia necessita.
    É um absurdo que pessoas de graduação ermas possam trabalhar em causas de Engenharia, ainda mais em Engenharia Ambiental, que é onde a variedade e peso de informações e d conhecimento é essencial para a garantia do meio resiliente.
    Já ví de tudo atuando como "gestor "ambiental"", desde biólogo até fazedor de pipoca.... É realmente um absurdo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc é um sem noção do mercado do trabalho ! Vc pode ser até engenheiro Alienigena, se não tiver experiencia e competencia, para o mercado de trabalho vc é um zero a esquerda !!!

      Excluir
    2. Caros,

      Vamos com calma!! Esse é um blog que busca a troca de idéias e de experiências com o objetivo de informar aqueles que ainda não conhecem a profissão. Além disso luta pela regulamentação. Não tem o objetivo de agredir ou ofender com palavras de baixo nível. Peço aos colegas que não usem esse canal pra isso.

      Obrigado.

      Excluir
    3. vou fazer engenharia ambiental, mas digo a você que as pessoa que conheço e que são formadas nessa área me disseram que a matemática não é tão pesada assim como a engenharia civil, e muitas vezes o técnico tem mais competência do que o engenheiro em diversos ramos, principalmente a engenharia civil.

      Excluir
  58. Prezado Colega Eng. Ambiental,

    Não acredito que simplesmente pelo fato de cursar essas disciplinas o fará mais capaz. Cursei todas elas com excessão de Álgebra Linear.
    Não me sinto limitado dentro da área que atuo. Para sua informação, o Tecnólogo é especializado em uma área em específico e não generalista como os engenheiros.
    Sou Tecnólogo em Edificações e minha formação, reúne muito mais disciplinas na área de estrutura que a eng. civil.
    Mas não se preocupe que não queremos ser engenheiros, simplesmente o que nós Tecnólogos queremos é reconhecimento no mercado de trabalho. Chega de discriminação. Temos capacidade de desenvolver com eficiência nossa profissão, dentro de cada modalidade é claro.
    O objetivo deste blog não é agredir ninguém nem difamar a classe dos engenheiros. Nosso objetivo é lutar pela regulamentação da profissão de acordo com a legislação brasileira.

    Abraços

    ResponderExcluir
  59. Prezados colegas Tecnólogos.

    Aqui em Rondônia, o curso de tecnologia em gestão ambiental é mto novo, começo em 2005, hoje somos muitos aqui, e temos o título de Gestor Ambiental. Temos como conselho o CRQ, que não nos ajuda em nada, só pagamos taxa de anuidade que é mais cara que a do CREA e taxas de AFTs que tb são mais cara que a ART do CREA.
    Trabalho por conta própria com projetos ambientais e como disse o colega não estamos discutindo quem é melhor, só queremos nosso espaço reconhecido, porque se o MEC aprovou o curso é porque tem que ser reconhecida a profissão.
    Colegas ninguém sai da faculdade sabendo alguma coisa na prática, vamos ser honestos consingo mesmo, nem engenheiro e nem tecnólogo, aquele que quer trabalhar tem que correr atrás mesmo e batalhar, qdo vc não sabe fazer algom corre atrás vai a luta que vc consegue, tempo na faculdade não leva ninguém a lugar nenhum.
    Eu por exemplo, qdo faço um projeto que precisa tb da assinatura de um engenheiro, eu ganho R$3.200,00 e dou R$ 300,00 p/ o engenheiro simplesmente assinar junto comigo e detalhe eles nem olham pq nunca fizeram um RIVI e não sabem como fazer.
    Aqui ja esta começando a ter concurso nas prefeituras.
    Não desistam amigos vamos conseguir, e sigam meu conselho, não recusam trabalho, sempre vai ter um engenheiro desempregado ou ganhando mau que assinará por qq 300,00.........porém assinem tb gestores e anexem suas AFTs, afinal na área ambiental quase tudo deve ser feito por uma equipe multidisciplinar.
    valeu

    ResponderExcluir
  60. Prezados particpantes deste blog, sou Técnico de Segurança do Trabalho e estou pretendendo ingressar na área fazendo o curso de Tecnologia em Gestão Ambiental. Estou muito motivado e espero estar juntos com todos vocês ainda este semestre.
    Grande abraço a todos, Roberto Rodrigues - robertorodrigues.tst@hotmail.com - Sorocaba-SP.

    ResponderExcluir
  61. É por isso que o Brasil não se desenvolve....as pessoas estudam simplesmente para terem um diploma e não o conhecimento, não vejo por onde esse preconceito com os tecnólogos, principalmente os gestores ambientais como disse o colega engenheiro. O tecnólogo em gestão ambiental tem capacidade de desenvolver as atividades que são de sua competência, da mesma forma que o engenheiro ambiental. Não sei porque acham desaforo uma graduação superior em menos tempo, e a tendencia da educação é acabar com a maioria dos cursos de 5 anos apenas para graduação. Sou acadêmica do curso de tecnologia em gestão ambiental, estou adorando a ideia de ser uma tecnóloga e poder contribuir para o futuro da minha filha e netos cuidando do meio ambiente....e só pra lembrar o nosso colega Engenheiro ambiental....também sei fazer pipoca, mas estou me qualificando para ser uma TECNÓLOGA EM GESTÃO AMBIENTAL! rsrs. um abraço a todos os colegas e continuemos nossa luta!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me formo este ano em Tecnólogo em Gestão Ambiental e fico feliz em ver vários colegas lutando para um futuro melhor para nossa profissão. Sinceramente não vejo motivo de sermos profissionais submissos à classe dos engenheiros. Temos a nossa graduação, somos formados e temos competência para atuarmos nas áreas em que nos formamos. Senhores formados e formandos em engenharia: ABAIXO À DISCRIMINAÇÃO!

      Excluir
  62. Sou Tecnólogo em Mecatrônica Industrial pelo IFCE, e também sinto na pele a discriminação, começando pelos que não poderiam jamais fazer, como é o caso da Transpetro (subsidiaria da Petrobras) que expõe descaradamente nos editais de abertura de concursos que não aceitam tecnólogos. Lembro que no meu caso sou formado para industria, além de fazer cadeiras que um engenheiro formado em eletricidade somente ver em uma pós graduação, por exemplo. Daí a importância de um tecnólogo, ser mais aprofundado em certas áreas.
    Nos EUA a formação em tecnologia é nomeada da seguinte forma: Engenheiro em Tecnologia Mecatrônica Industrial; Engenheiro em Tecnologia Mecatrônica Automobilística, Engenheiro em Tecnologia Ambiental ... etc.
    Os conselhos regulamentadores das profissões quem deveriam levar um puxão de orelha e agregar, não ser eles próprios os primeiros a tratar-nos com indiferença.
    Devemos sim, lutar por uma regulamentação mais consistente e respeitosa, e colocar o tecnólogo em seu lugar, de muito destaque.

    ResponderExcluir
  63. Olá eu faço curso tecnico em eletromecanica, sou de Curitiba tenho 22 anos concluirei o curso com 24, queria saber o que é melhor partir pra uma engenharia ou um tecnologo, visto minha idade. Estou pensando em Tecnologo em Automação ou engenharia Eletrica.

    ResponderExcluir
  64. Trabalho ná área de engenharia e conheço tanto tecnólogos como engenheiros verdes e garanto no fim das contas o que prevalece é a experiência e a competência.
    No dia a dia de uma empresa privada não há espaço para egos feridos, disputas imbecis e descabidas desse ou daquele, aqui o que conta é projeto entregue.
    E posso afirmar existem profissionais não graduados muito mais competentes que os dois juntos.
    Deixem que as empresas onde trabalham avaliem suas competências e direcionem suas atribuições, posso garantir birra não paga salário.

    ResponderExcluir
  65. 04/04/2012
    Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania ( CCJC )
    Encerrado o prazo para emendas ao projeto. Não foram apresentadas emendas.
    CABAMBA!!! Será que vai levar 10 anos para finalmente aprovar essa Lei? Passou o carnaval, a CCJC só finalizou em 04 de abril e até hoje não se tem mais notícias do PL 2245/07. Cinco anos já se passaram. No final do ano que vem me formo em Engenharia Civil (sou Tecnólogo em Edifícios pela FATEC-SP, formado em 1996) e pelo jeito o REgistro profissional que tirei esse ano nem vou usar. Agora é julgamento de mensalão, CPI de cachoeira, cascata, catarata, deputados apoiando candidatos a prefeito... praticamente o ano vai acabar e a data 04/04 vai ficar estagnada em nossas memórias. Será que só depois do próximo carnaval é que vamos ter alguma novidade?
    Compartilho com meus colegas de que o Tecnólogo nem é reconhecido nem conhecico. Sempre perguntam: Técnico né? Droga! Não tem concurso para nós, em currículos nunca tem a opção Tecnólogo para preenchermos. Até o CREA-MG parece que fez pouco. Demorou 4 meses e meio para expedir minha carteira profissional. Até o conselho parece que não acredita no Tecnólogo. Só para receber a anuidade, claro.
    Sei que estudar é necessário, mas para isso é preciso retorno (caso a pessoa não tenha dinheiro sobrando) para que aqueles que desejem continuar. Caso contrário sáo anos perdidos em bancos de faculdade/universidade à toa. Hoje são tantos profissionais da área de construção civil que num futuro próximo um pedreiro ganhará mais que um formado, já que faltarão esses e sobrarão aqueles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde colega da FATEC,
      Eu entendo sua frustação com a profissão. Infelizmente nem o CREA e tão pouco os parlamentares estão preocupados com nossa categoria.
      Você ainda correu atrás logo e fez um curso de eng. civil, assim vc deixará de ser discriminado.
      No meu caso, me formei quase na mesma época que você em 1997. Também fiz Tecnologia em Edificações só que na UNICAMP (muito boa por sinal) e desde então trabalho na área, porém na função de técnico.
      Pago religiosamente o CREA desde 2001 quando entrei na MENDES JR, mas não serve pra nada, nem como responsável pra tocar uma obra.
      Rodei o Brasil em vários estados e não tive a oportunidade de fazer eng.civil. Todos os meus amigos da faculdade fizeram engenharia. Jah eu?? só agora depois de burro velho, consegui parar na capital (SP) e estou cursando. Consegui eliminação em 50% do curso. Ao menos isso pra compensar um pouco minha frustação.
      Valeu, obrigado pela sua postagem. Deixo aberto a outros colegas de profissão a postarem aqui sua história.
      Abraços

      Excluir
  66. Sou tecnólogo em mecânica, essa semana recebi uma oferta para assinar como responsável em uma empresa que fabrica caçambas e guindastes. O que o CREA me falou? Que não posso, apenas engenheiro. Isso infelizmente te deixa na lona. Tenho certeza que sou muito melhor que muito engenheiro por aí, a única diferença é que não tive ninguém que me apoiasse e me sustentasse para fazer um curso de engenheiro, por isso optei pelo tecnólogo. É realmente frustrante viver nesse país onde a elite manda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro colega Douglas,
      É muito frustante quando isso acontece. Nesse momento você se sento um zero à esquerda, indignado, etc. Essa é nossa realidade, o CREA se baseia nas resoluções do CONFEA onde colocam os tecnólogos submissos aos engenheiros.
      Em 2004 eu trabalhava pra uma construtora de Belo Horizonte e à época fazíamos manutenção e melhorias na faixa de dutos da Petrobrás. Fui solicitado à assinar uma ART se responsabilizando por um escoramento em uma encosta. Infelizmente fui barrado pelo CREA e impossibilitado de atuar.
      Mas não se deixa abater por isso, sei que realmente causa uma indignação terrível, mas como Tecnólogos temos que saber lidar com essas situações, ou então fazemos engenharia pra eliminar as barreiras.
      Abraços

      Excluir
  67. Meu nome é ALOISIO estou formando tecnologo em gestão ambiental, e gostaria de saber quais as atribuições de um tecnologo em GA junto ao CRA?
    Me formo no começo do ano de 2013 e estou em duvida quais conselhos me afiliar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Amigo Aloisio,

      Na minha opinião o melhor conselho para os formandos em Gestão ambiental é o CRQ. CRA é pra área Administrativa,.

      Abraços

      Excluir
  68. Me chamo Marília e sou desde o ano passado Tecnóloga me Petróleo e Gás (pela Universidade Estácio de Sá - RJ). Minha luta, assim como a de vocês é diária. Hoje, por exemplo, tive o desprazer de conhecer um dos diretores do SINTEC-RJ, que usou, entre outras as seguintes frases: "Sua profissão não existe, você não é nada... É como uma criança sem certidão de nascimento, você não existe.", "Qual a lei que regulamenta sua profissão? Não existe uma lei.". E ainda recebi um conselho: "Vai correr atrás do tempo perdido, faça um curso que lhe dê futuro.".

    Fiquei arrasada, com o preconceito! Fiquei me perguntando por algum tempo se ele não teria razão no que disse, mas não há como engolir isso, vendo a quantidade de cursos e profissionais que se formam a cada dia em cursos tecnológicos.

    Pesquisando sobre o andamento da regulamentação das nossas profissões, achei os sites do SINTESP - sindicato dos tecnólogos de São Paulo(www.tecnologo.org.br) e o da ANT - associação nacional dos tecnólogos (www.ant.org.br). Não sei quem já conhece, contudo, acredito que se todos nós "abraçarmos" a causa, muito pode mudar daqui para frente! Quanto mais vozes, mais barulho faremos!

    Fiz questão de me cadastrar nos sites e assim com este blog, adicionar no meu computador, para ter contato com pessoas que, assim como eu, estão batalhando e sonhando com esta regulamentação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marilia,

      Trabalhei na cidade de Macaé no RJ de 2005 a 2008. Nessa época fiz meu MBA em QSMS e tive a oportunidade de conhecer muita gente da área de Petróleo e Gás.
      Muitos dos que conheci procurou o MBA como um diferencial para tentar uma melhor colocação no mercado principalmente como embarcado que demanda muita gente da área de SMS.
      Como conselho, procure se aperfeiçoar. Faça outros cursos dentro da sua área de conhecimento para te qualificar melhor.
      Não deixe essas mentes desinformadas te contaminar. Seja você, e procure superar essas discriminações. Tem boas empresas que aceitam muito bem o Tecnólogo em Petróleo e gás. Claro, sabemos que a Petrobrás não é uma delas, mas existem muitas outras que acolhem esses profissionais.

      Um abraço
      João Pedro


      Excluir
    2. Então João cite "as muitas empresas" que aceitam o tecnólogo??

      João disse:"Como conselho, procure se aperfeiçoar. Faça outros cursos dentro da sua área de conhecimento para te qualificar melhor". Em outras palavras Marília...vá fazer um curso técnico ou superior que vc não ficará parada esperando que a aprovação do tecnólogo cairá dos céus!

      Excluir
    3. Nilows,
      Este blog tem por objetivo informar e lutar pelas injustiças feitas a uma categoria profissional que são os Tecnólogos. Não tem por objetivo agredir ninguém.
      Peço a gentileza que se você não tem nada a acrescentar ao blog e somente de agredir a categoria, peço que não poste nenhum comentário.
      Aliás, procure se informar melhor pois desconhece os tecnólogos e também acerca de minha formação.. pois Tecnólogo é somente uma de minhas graduações.
      Você se engana muito ao dizer que Tecnólogo não é curso superior.. Procure ler melhor a respeito.. a propósito, quando fiz meu MBA eu só tinha a formação de Tecnólogo.

      Excluir
    4. Lí todos os comentários, então só reforcei o que a maioria citaram nesse blog: falta de reconhecimento pelas empresas, falta de concursos públicos, a tão sonhada regulamentação na NR 4 do MTE (visto que o CBO só serve para fins estatísticos). Minha intenção não é agredir-los e sim alertá-los que as faculdades estão enganando as pessoas que sonham com uma carreira promissora.Tenho amigos que caíram nessa armadilha. Peço desculpas e não comentarei mais nada conforme solicitado.

      Excluir
  69. Prezados amigos(as)

    Bom dia

    Sou tecnólogo em logística e gostaria de saber se o mesmo pode realizar perícias judiciais?

    ResponderExcluir
  70. boa noite
    terminei o ensino medio e estou determinado a fazer este curso tcnologo em gestao ambiental
    na veris faculdade em campinas..o que vcs acham se vale a pena ou nao...agradeço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amigo,

      A área ambiental é muito boa. Atualmente emprega muita gente. Tenho um amigo que fez gestão ambiental, se formou e abriu seu negócio.
      Logo que se formou começou a fazer vários licenciamentos para empreendimentos de conhecidos etc. O aconselhei a abrir seu negócio e deu certo.
      Vá em frente a área ambiental é muito boa. Claro que o Tecnólogo tem muita limitação para atuação, mas vc pode iniciar e começar a atuar nessa área e depois faz uma eng. ambiental. Conseguirá eliminar boa parte do curso com disciplinas equivalentes.

      Abraços

      Excluir
  71. Olá João Pedro eu fazia o curso de tecnologia em eletrônica no SENAI-SP, e na apresentação dos professores vi que todos eram engenheiros, e eu fazendo curso para ser tecnólogo sinceramente, eu me senti um lixo.. conversei com eles e vi que dois deles eram formados pela FEI-SP perguntei se o que valia mais a pena era a engenharia na FEI ou um curso de tecnologia no Senai ele logo me respondeu e foi sincero disse que não existe comparação, engenharia na FEI por exemplo pra mim que sou novo com 18 anos seria bem melhor. Por isso acabei desistindo do curso com 1 mes e meio de início. Pretendo começar engenharia ano que vem.. mas de qualquer forma um tecnólogo não merece ser desrespeitado, porque de qualquer forma é uma profissão que o profissional é capacitado para exercer sua função como as outras. Gostei do seu blog
    Obrigado pela atenção.

    ResponderExcluir
  72. Ajudem a divulgar pessoal!

    Represento no Brasil a GIMAT, empresa alemã especializada em equipamentos de monitoramentos online. Nossos equipamentos são perfeitos para pesquisadores e empresas interessadas em ter o controle de suas emissões em tempo real, podem ser configurados no modo estático ou portátil (podem ser transportados na mão, em carros e até pequenos barcos) e realizam diversas análises como: Amônia, Cloro, DQO, DBO, Cor, Oxigênio Dissolvido, Nitrato, pH, P.O.R, Fosfato, Fósforo, Oxigênio, Nitrogênio, Temperatura, Toxicidade, Turbidez, Sólidos Suspensos, entre outros. Todas as análises são realizadas em real time, sem a necessidade de coletar amostras, muito menos de enviá-las a um laboratório. Coloque o sensor em contato com a região de interesse, ETE, ETA, Lagoas, Rios, Mares e obtenha resultados instantaneamente.
    comercial@jocktech.com.br
    contato@jocktech.com.br

    ResponderExcluir
  73. Represento no Brasil a GIMAT, empresa alemã especializada em equipamentos de monitoramentos online. Nossos equipamentos são perfeitos para pesquisadores e empresas interessadas em ter o controle de suas emissões em tempo real, podem ser configurados no modo estático ou portátil (podem ser transportados na mão, em carros e até pequenos barcos) e realizam diversas análises como: Amônia, Cloro, DQO, DBO, Cor, Oxigênio Dissolvido, Nitrato, pH, P.O.R, Fosfato, Fósforo, Oxigênio, Nitrogênio, Temperatura, Toxicidade, Turbidez, Sólidos Suspensos, entre outros. Todas as análises são realizadas em real time, sem a necessidade de coletar amostras, muito menos de enviá-las a um laboratório. Coloque o sensor em contato com a região de interesse, ETE, ETA, Lagoas, Rios, Mares e obtenha resultados instantaneamente.
    comercial@jocktech.com.br
    contato@jocktech.com.br

    ResponderExcluir
  74. ola joão pedro, parabéns pelo blog. gostaria que vc me tirasse uma dúvida, estou fazendo tecnólogo em segurança no trabalho em porto alegre. mas procurei em diversos lugares ver essa questão de poder exercer a profissão. e vi que o CFQ( conselho federal de quimica) regulamenta nossa profissão e nos da o total apoio. já o CONFEA(conselho federal de engenheiros e arquitetos) é extremamente contra nós. agora eu pergunto se nós nos registrarmos no CRQ agente pode exercer a profissão numa boa? qual seria diferença entre o CRQ e o CONFEA?
    Abraço a todos participantes do blog.

    GARCIA

    ResponderExcluir
  75. Olá João!

    Me chamo Benhurt e sou Tecnólogo em eletromecânica, aqui no Paraná temos organizado reuniões para reinvindicar melhorias para classe, desta forma precisamos unir os Tecnólogos de todo país, porém para conseguir resultados devemos planejar e cadastrar os Tecnólogos. Gostaria que os interessados enviassem e-mail para bgongora@hotmail.com, para podermos fazer um trabalho, fortalecendo e garantindo nosso futuro.

    ResponderExcluir
  76. Acompanhamento de Proposições
    Brasília, quinta-feira, 11 de outubro de 2012

    Prezado(a) Fábio Alan Santana Damasceno,

    Informamos que as proposições abaixo sofreram movimentações.


    PL-02245/2007 - Regulamenta a profissão de Tecnólogo e dá outras providências.
    - 10/10/2012 Apresentação do Parecer do Relator n. 1 CCJC, pela Deputada Fátima Bezerra (PT-RN).
    - 11/10/2012 Prazo para Emendas ao Substitutivo (5 sessões ordinárias a partir de 15/10/2012)
    - 10/10/2012 Parecer da Relatora, Dep. Fátima Bezerra (PT-RN), pela constitucionalidade, juridicidade e técnica legislativa deste, do Substitutivo 3 da CEC, e do Substitutivo 4 da CTASP, com substitutivo.

    ResponderExcluir
  77. Rodrigo Noguerol Correa15 de outubro de 2012 18:52

    Prezados,
    Conversando com pessoas que respeito muito na área de ensino (diretores de instituições estaduais e federais), os mesmo citam que participaram de diversas reuniões sobre a criação dos cursos em nível de tecnologia...e que na época se criou a lei para suprir lacunas específicas de conhecimento com curto espaço de tempo (ex: fibra ótica, telefonia móvel...etc).
    Infelizmente o mercado de ensino deturpou esta necessidade do país e criou tecnólogos em área onde já existiam profissionais atuando...pois foi mais fácil fazer uso da lei desta forma e as campanhas publicitárias destas instituições com títulos de cursos "bonitos" atrairam e porque não dizer "enganaram" alunos de boa fé...

    O fato é que antes da lei do tecnólogo, quem regulamenta atribuições profissionais são são os "velhos" Conselhos Regionaos...(CREA, CQQ, CRM...etc)...graças à Deus, pois e hoje temos "profissionais" injetando sopa na veia de pacientes...imagine se TODOS tivessem TODAS as atribuições...sem que tivessem maior quantidade de informação e formação...

    Teríamos eixos rompendo, pois engenheiros conhecem fadiga e técnicos não, médicos conhecem técnicas especializadas e técnicos normalmente nem tem base para ler os idiomas nas quais elas estão protocoladas...

    Seria o CAOS...o que não quer dizer que não temos bons e maus profissionais em todos os níveis...

    É uma pena que neste país as pessoas pegam caminhos mais curtos e querem chegar aos mesmos resultados...na minha visão porque são ludibriadas por um sistema de ensino hipócrita...os conselhos já existiam...pena que os alunos não tem esta visão antes de iniciarem o curso...sugiro que entre na justiça contra a instituição de ensino que te prejudicou...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Rodrigo,

      Obrigado pelos comentários no blog. Porém concordo em parte. Na verdade, quem engana a população é o próprio governo. Ele estimula a criação de novas faculdades de Tecnologia sem se preocupar com uma legislação que defina as atribuições desses profissionais.

      Os cursos tecnológicos foram criados numa época em que carecia de profissionais e que as empresas não podiam esperar 5 anos para sua formação. Daí, a idéia de uma formação mais prática e direcionada. É uma pena que o mercado não saiba aproveitar esses profissionais.

      O fato de ter tecnólogos em áreas onde já existam profissionais, não é o problema. O que precisa é ter uma legislação específica que determine o limite das suas atribuições.
      Há bons tecnólogos formados no mercado de trabalho que estão sendo injustiçados, pela morosidade da justiça que não legaliza sua situação.
      Tecnólogos estes, que possuem habilidades para atuar em igualdade com engenheiros. Porém, sem alternativas, estão procurando novas oportunidades no mercado.

      Abraços,

      Excluir
  78. Sou Bióloga e no momento estou em dúvida entre cursar tecnólogo em gestão ambiental ou tecnólogo em segurança do trabalho...ambos são oferecidos pela UNOPAR aqui an Bahia... Alguém teria uma noção, do que seria melhor para o mercado de trabalho daqui a dois anos?

    Att,

    Cleidianne

    ResponderExcluir
  79. Oi Cleidiane,
    Olha sinceramente o Tecnólogo em gestão ambiental tem mais campo. A área ambiental ainda tem menos concorrentes. Já o Tecnólogo em segurança, disputa o mercado com o técnico de segurança e o eng. de Segurança. Além disso, enfrenta mais discriminação que o Tecnólogo ambiental.

    Abraços

    ResponderExcluir
  80. Olá eu faço curso tecnico em eletromecanica, sou de Curitiba tenho 22 anos concluirei o curso com 24, queria saber o que é melhor partir pra uma engenharia ou um tecnologo, visto minha idade. Estou pensando em Tecnologo em Automação ou engenharia Eletrica.

    Fernando.

    ResponderExcluir
  81. Olá, meu filho cursa tecnologia da construção civil e eu gostaria de saber se depois que ele concluir o curso ele poderá fazer uma complementação para ser engenheiro civil ou ele deverá prestar vestibular e frequentar todos os anos exigidos na engenharia civil? Obrigada

    ResponderExcluir
  82. Olá,

    Sim com certeza, pode fazer complementação sim. Dependendo da faculdade que ele faz e a grade horária, ele poderá eliminar até 50% do curso de engenharia civil.
    Geralmente pra quem já tem curso superior, não é necessário novo vestibular. É realizado um estudo curricular e é montado uma grade com as disciplinas a serem cursadas.
    Só um detalhe, não é todas as faculdades que fazem estudo curricular para aproveitamento de estudos.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  83. Lembrando a todos que Tecnólogo, Bacharel e Licenciado não são profissões e sim título.
    Ex.1: Tecnólogo em Construção de Edifício.
    Título: Tecnólogo
    Profissão: Tecnólogo em Construção de Edifício ou simplesmente Construtor de Edifício

    Ex.2: Bacharel em Engenharia Mecânica.
    Título: Bacharel
    Profissão: Engenheiro Mecânico ou simplesmente Engenheiro

    Ex.3: Licenciado em Matemática
    Título: Licenciado
    Profissão: Professor de Matemática

    Ex.4: Tecnólogo em Petróleo e Gás
    Título: Tecnólogo
    Profissão: Tecnólogo em Petróleo e Gás (Título e profissão juntos)

    Ex.5: Bacharel em Matemática
    Título: Bacharel
    Profissão: Matemático

    Ex.6: Tecnólogo em Estilismo e Coordenação de Moda
    Título: Tecnólogo
    Profissão: Estilista e Coordenador de Moda ou simplesmente Estilista

    Ex.7: Bacharel em Estilismo
    Título: Bacharel
    Profissão: Estilista

    Ex.8: Tecnólogo em Gestão de Produção
    Título: Tecnólogo
    Profissão: Gestor de Produção ou simplesmente Gestor

    Ex.9: Bacharel em Engenharia de Produção
    Título: Bacharel
    Profissão: Engenheiro de Produção ou simplesmente Engenheiro

    Ex.10: Tecnólogo em Design de Interiores
    Título: Tecnólogo
    Profissão: Designer de Interiores ou simplesmente Designer

    Ex.11: Bacharel em Design de Interiores
    Título: Bacharel
    Profissão: Designer de Interiores ou simplesmente Designer

    Portanto, Tecnólogo, Bacharel e Licenciado, são as 03 (três) modalidades de Cursos Superiores GRADUADOS (Diploma) ofertados nas Instituições de Ensinos Superiores no Brasil.
    Diferentes dos Cursos Superiores não graduados: Sequencial (Diploma ou Certificado. Depende da IES) e Continuidade (Certificado).
    Só os C.S.G, dão acesso aos cursos de pós graduações: MBA (Especialização); Lato Sensu (Especialização); Stricto Sensu (Mestrado, Doutorado e Pós Doutorado).

    ResponderExcluir
  84. Olá, meu filho está cursando o 3º ano de Tecnologia da Construção Civil na Fatec, gostaria de saber se há alguma possibilidade dele se transferir para USP (politécnica). Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi bom dia,
      Entre cursos superiores, a transferência sempre é possível na época certa determinada pela instituição a qual pretende se ingressar.
      No entanto, você deve entrar em contato com a USP para verificar as datas e em relação a equivalência de disciplinas. A divergência de conteúdo sempre há. Assim, ele terá que fazer uma adaptação.

      Abraços

      Excluir
  85. Olá pessoal, me formo agora no meio do ano de 2013 em Ténologo em Automação Industrial.
    Fiquei sabendo pelo coordenador do curso que esta pra ser votado a aprovação da PL 2245/07 na câmara dos deputados, aguém sabe quando vai ser esta votação????
    Pessoal, precisamos fazer um grande movimento, temos que ser reconhecidos, pois os tecnólogos esta saindo da facudade mais preparados para o mercado que os engenheiros.
    Acho por parte da Petrobras uma grande ignorância não aceitar tecnólogos, mas acho que com o desenvolvimento e a falta de mão de obra qualificada, eles vão ter que nos engolir....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Marcos,
      Em 11 de Dezembro de 2012 foi apresentado um novo relatório com substitutivo pela Dep. Fátima Bezerra PT-RN para votação.
      Como o congresso saiu em recesso e deverá voltar somente após o carnaval, acredito que teremos alguma posição no final de fevereiro ou Março/13.
      Quanto á Petrobrás, ela ainda não aceita pelo fato de não ter nenhuma legislação legalizando a profissão.
      Vamos aguardar, logo teremos novidades.

      Site da câmara dos deputados para acomapnhamento: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=372560

      O PL é 2245 de 2007.

      Abraços

      Excluir
  86. Nilows disse:

    Abriu CONCURSO na Petrobrás BH Distribuidora! Vejam o edital e se inscrevam, caros tecnólogos!!!!!

    ResponderExcluir
  87. Caros Colegas Tecnólogos.
    Sou formado pelo CEFET/PR em 1992 e até hoje, NUNCA fiquei um dia se quer desempregado. Ganho tanto quanto um engenheiro. Sou especialista em pav. intertravada, especialista em alv. estrutural, auditor fabril, consultor tecnico, presto assistencia técnica fabril, coleta de blocos para ensaios laboratoriais, faço cursos, palestras, treinamentos de mão de obra Geral.
    Ou seja, me orgulho muito de ter feito o intitulado curso de Tecnologia da Construção Civil, modalidade edifício.
    Deixem os engenheiros em paz (eles que cuidem de coisas importantes como os burocráticos) e nós a coisa prática e gostosa de trabalhar.
    Sei que somos discriminados, mas mostrem suas competencias e trabalhem com amor e seriedade que a coisa melhora.
    Um forte abraço a todos e vamo que vamo.

    ResponderExcluir
  88. Caros colegas Tecnólogos.
    Estou me formando e tecnologia em segurança do trabalho, estamos em uma luta por aqui, taremos correndo atras de nossos direitos para que não se possa ser esquecido a nossa profissão. estaremos montando uma ata de reclamações e de sugestões entre todos acadêmicos tecnólogo, para ser entregue ao MPT, MTE, Defensoria Publica, etc.Para ver se alguma desta instituição possa nos ajudar em nossos direitos, penso que so alguns não tera tanto efeito mas já é alguma coisa. creio também que nos devemos nos unir para que possamos vencer essa batalha pelo nossos direitos. Aqui nos tamos fazendo nossa parte, espero que nos ajudem também, vamos cobrar em oficio, etc. Ja que é a camara vamos cobrar nossos politico pelo nosso direito no PL é 2245 de 2007. E de nossa Inclusão na NR 4.

    ResponderExcluir
  89. Boa noite
    encontrei teu blog por acaso, mas ja vou lhe adiantando que aqui no amazonas, temos o mesmo problema eu sou tecnologo Naval formado em 2007 pela ULBRA Manaus e depois de nos ja formou mas 2 turmas tenho vamso colegas que entraram com mandato de segurança ara assinar elo menos projeto EC1 por qe nos nao podemos assinar nada nem memorial descritivo da embarcação basico sendo que tecnico de edificacoes poden assinar projetos de ate 3 andares, tecnico eletricista pode assinar pequenos esquemas eletricos e nos tecnologos nao podemos assinar nada, poderiamos levantar essa bandeira aqui em manaus so tem 5 engenheiro naval atraza muito os projetos na falta de mao de obra deveriam deixar nos assinamormos pelo menos navegacao interior
    um pequeno desabafo obrigado pela atencao.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Harry,
      Com a implementação da resolução 313 de 1986 pelo CONFEA, os Tecnólogos ficaram sem qualquer amparo legal para assinatura de projetos.
      Claro que, concordo contigo que é um absurdo um Técnico possuir habilitação enquanto que o Tecnólogo não. Há anos brigamos na justiça para reverter isso, porém até hoje não conseguimos nada.
      Primeiro foi tentado junto aos conselhos de classe e nada, depois partimos para os projetos de lei. O projeto inicial foi o PL 4731 de 1994 efoi arquivado em 2007. Em 2007 abrimos outro na segunda tentativa o PL 2245 e ainda não foi aprovado.
      Existe muita resistência à aprovação desse projeto, infelizmente. Enquanto isso, quem é Tecnólogo, não tem habilitação para assinar projetos.

      Abraços,

      Excluir
  90. Olá galera!
    A PL 2245/07 foi aprovada e deve seguir para apreciação do Senado.

    ResponderExcluir
  91. Sou Tecnólogo em Eletrônica formado a quase 5 anos e sempre senti esse preconceito contra a nossa categoria. Francamente, não acho que isso irá mudar. Nosso diploma é marginalizado e muito disso se deve há algumas faculdades particulares que usam o termo curso Tecnologico como arma para atrair um pessoal de mais baixa renda, proporcionando uma má formação em uma área, as vezes, já restrita. As empresas públicas e privadas adoram tecnólogos, contratam como técnico ou no máximo do máximo analista e pagam o que acham que devem pagar, temos um piso salarial? Não! Não temos nem apoio do CREA, apoio politico ou social. Acham mesmo que vai mudar algo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado,
      Você tem razão em tudo no que diz. Nossa profissão é mesmo marginalizada. Também não acredito que com a aprovação da lei, vá mudar tudo, mas vai mudar alguma coisa sim. Já é uma conquista para a categoria.
      Um conselho, se você realmente quer trabalhar e ser reconhecido a única alternativa é fazer engenharia.
      O mercado de trabalho contratam tecnólogos como Técnicos como você mesmo disse.
      Sou formado desde 1997, me cansei dessa discriminação e promessas.. Estou fazendo Engenharia.

      Excluir
  92. PERGUNTA. GOSTARIA DE SABER SE UM TECNICO EM AGROPECUARIA PODE CONCORRER EM UM CONCURSO ONDE SE PEDE ENSINO MEDIO + CURSO DE TECNICO EM EDIFICAÇÕES. OBRIGADO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro colega anônimo,
      Se o concurso pede formação de Técnico em Edificações, você até pode se inscrever e fazer as provas. Contudo, se passar, será solicitado uma habilitação na qual você não possui. Daí será desclassificado.
      Só poderá concorrer a concursos que exigem o Ensino médio completo ou Formação em agropecuária.

      Abraços

      Excluir
  93. Prezado João Pedro, me chamo Fábio Ribeiro, tenho 21 anos e sou aluno do primeiro período do curso de Tecnologia em automação industrial do INATEL (Instituto nacional de telecomunicações), em Santa Rita do Sapucaí, falo Inglês fluentemente, estudo Espanhol, que provavelmente estarei fluente em três anos (tempo de conclusão do meu curso), o INATEL é bem conceituado e conhecido pelas empresas, pretendo logo ao fim do curso iniciar minha pós no INATEL mesmo.
    Ainda não trabalho na área mas pretendo já no ano que vem estar atuando na minha área.
    Há tempos procuro orientação de uma pessoa como você que conheça bem o mercado de trabalho para os tecnólogos, não vou perder a oportunidade de tirar algumas duvidas com você.
    Ao final de três anos terei em meu currículo um curso de Graduação em Tecnologia de Controle e Automação, Português, Inglês e Espanhol Fluente, Pós Graduação em andamento, acredito que pouco mais de dois anos de experiência na área, provavelmente em uma pequena empresa, pois vai ser meu primeiro emprego na área, e quase certeza de um quarto idioma cursando, penso em Francês ou Alemão, gostaria de saber quais são minhas chances de conseguir um emprego bom, digno de um curso superior de 3 anos de duração em uma instituição de qualidade?

    Também tenho dúvida sobre o que um Tecnólogo pode e não pode assinar comparado a um Engenheiro?
    A pós me dá o direito de exercer a profissão de Engenharia de Controle e Automação?
    Eu posso tirar o CREA?
    As estatais aceitam o meu diploma?

    Muito obrigado pelo seu tempo e disposição de me ajudar! Sou apenas um jovem cheio de dúvidas na cabeça, se puder me ajudar ficaria muito grato!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Fábio,

      Obrigado pela participação em meu Blog. Você é um rapaz muito jovem e com um futuro brilhante pela frente. As área de TI e telecomomunicações são áreas muito promissoras e com grandes oportunidades de trabalho para diversos profissionais, técnicos, tecnólogos analistas, etc.
      Como já disse a outros colegas aqui no Blog, o tecnólogo enfrenta muito preconceioto e discriminações no mercado de trabalho, porém tem direito de registro no CREA sem problemas. O problema existe na hora de exigir as atribuições plenas..
      Lembre-se o tecnólogo não é engenheiro, existe muita diferença nisso. Você não pode assinar projeto e nem ser comparado a um engenheiro, o CREA proteje cada categoria profissional. Contudo cada qual se limita às suas atribuições profissionais.
      Quanto a concursos, poderá se canditar normalmente a qualquer concurso que exige formação superior sem problemas. Só não poderá se inscrever naqueles que colocarem como restrição apenas curso de bacharelado ou licenciatura. Ou ainda, como a Petrobrás faz, discaradamente, discrimina os tecnólogos em seus concursos, não aceitando nenhunm tecnólogo.

      Abraços

      Excluir
  94. Prezado João,gostaria de deixar meu e-mail, caso possa me mandar um e-mail para que eu guarde o seu contato e em possíveis futuras dúvidas você me ajude eu apreciaria!
    E-mail: fabio_rbad@hotmail.com
    Desde já agradeço.

    ResponderExcluir
  95. Olá amigos, sou tecnólogo em construção de edifícios e gostaria de saber se eu fizer uma pós-graduação em estrutura de edificações eu poderia assinar projetos estruturais? agradeço desde já

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado amigo,
      Quem poderá lhe dar essa informação é somente o CREA. Após você fazer a pós, você deve entrar com solicitação de extensão das suas atribuições. Porém acredito que ainda assim, o CREA poderá não autorizar a assinatura de projetos.

      Excluir
  96. eh isso ai, a impressao q passam eh q engenheiros estao se borrando de medo de perder espaço no mercado... contam suas opinioes e como sao "engenheiros" todo mundo leva a serio... o fato eh q o mercado de trabalho eh MUITO preconceituoso com tecnologos, meu professor da faculdade disse q tecnologo eh "peao de luxo"... se um professor diz isso imagino os engenheiros por ai... as pessoas em geral nao aceitam q talvez possam nao ter feito a melhor escolha

    e outra, meu tecnologo de automação industrial me dah o direito de concluir eng. em dois anos, ou seja estudei cinco e pagaria dois (pois me formei em uma escola federal), e detalhe com 30% de desconto pq seria uma segunda graduação... os q estao na turma pagando desde o inicio jamais vao se conformar com isso...

    ResponderExcluir
  97. Boa noite
    Sou formado em tecnologia em automação industrial. Atualmente trabalho com manutenção eletroeletrônica, tive de fazer um técnico em eletrônica por motivo de titulação em relação à cargo.. e vejo que cada dia mais está difícil algo melhor mesmo com os cursos que tenho.
    Agora me vejo na busca de decidir se devo ou não fazer uma engenharia, uma vez que não tenho tido reconhecimento com meu tecnólogo. Infelizmente é difícil acreditar que um curso que era pra ser a profissão do futuro de um país desenvolvido, esteja parado numa gaveta da Câmara esperando a boa vontade de deputados que pouco parecem se importar com o assunto.
    Triste, mas real...

    ResponderExcluir
  98. Diante do exposto, acima vou deixar aqui a visão que tenho desse assunto: atribuições de profissionais egressos de cursos superiores (pleno e tecnólogo) e técnico (nível médio) no Sistema Confea/Crea/Mútua.
    O Sistema foi criado em 11/12/1933, e naquela época permitiu que leigos continuassem atuando por 1 semestre, e quem já exercia função pública em área técnica.
    Com a Lei 5.194/66 e 5.524/68 vieram as resoluções definindo atividades e competências, além da entrada Oficial dos Engenheiros Agrônomos no Sistema.
    Para os engenheiros, as atividades técnicas de engenheiros (artigos 2º ao 22), tecnólogos (art. 23) e técnicos (art. 24) foram estabelecidas nesses artigos da Resolução 218/73 pelo Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, usando das atribuições que lhe conferem as letras "d" e "f", parágrafo único do artigo 27 da Lei nº 5.194, de 24 DEZ 1966.

    Mais tarde, o Confea chegou a emitir outras para novas profissões de engenharia, a Resolução 313/85 para os tecnólogos e outras para os técnicos.

    A Resolução 218/73 foi elaborada com base na Resolução 48/76 do Conselho Federal de Educação - CFE, essa foi revogada com a LDB (Lei 9.394/96 e Resolução 11/2002 do CNE/CES) e o Sistema Confea/Crea inerte continuou a conceder atribuições defasadas para os engenheiros (tendo em vista, que muitos cursos de engenharia antes eram de 3 anos, veja o engenharia de agrimensura Lei 3.144/57).

    Os Regionais (Crea's) continuaram a conceder atribuições para os técnicos com base nas resoluções, enquanto o Decreto 90.922/85 regulamentou a Lei 5.524/68, expandindo a área de atuação do técnico, em outras palavras liberando várias atividades/serviços vedados pelas resoluções do Confea.

    Ainda, existem outro(s) problema(s) dentro do Sistema que são àquelas profissões que tem representantes no Plenário do Confea na prática com competência equivalentes a um profissional que teria que ter frequentado um curso de engenharia de no mínimo 15 anos. É só aproximar e conferir!!!

    O Correto é que todos sejam representados no Plenário do Federal, ou seja, 3 conselheiro por modalidade profissional, sendo 1 engenheiro/tecnólogo (nível superior: graduação plena ou tecnológica) e 1 técnico (nível médio). Sem a necessidade de garantir a participação de representantes por UF, uma vez que todos podem atuar no país com as mesmas competências profissionais, respeitados sua formação profissional.

    Outro problema, é o regime dos funcionários dos Conselhos de Fiscalização de Profissões Regulamentadas em geral, por lei o regime é estatutário (RJU) e na prática o regime é celetista (CLT). Isso faz com que tenha grandes gastos desnecessários e pouco retorno para a valorização profissiona em todos os cantos do país. Sem dizer os apadrinhamentos, asponis, etc...

    Por hoje, é só.

    Carlos.

    ResponderExcluir
  99. Boa noite prezados, sou tecnologo em Automação Indústrial, já fui professor de cursos tecnicos e posteriormente depois de formado lecionei também na Faculdade de Automação e Eletroeletronica, mas devido as decepções e preconceito que tive por alguns profissionais resolvi encarar mais 5 anos da faculdade de Direito,hoje estou cursando o último ano da Faculdade, mas como inicialmente estava dizendo é uma pena que pensem e trate a gente dessa maneira, tenho conhecimento de shopping que já pegou fogo por 2 vezes, lage de universisdade que despencou sobre alunos e com morte, trajedia em danceterias e não são poucas, e não foram projetadas e nem executadas por tecnologos, quando busco informação junto ao crea eu sinto o descaso por parte de pessoas que deveriam fazer o seu trabalho, toda vez que pego um serviço, faço o projeto elçetrico ou de automação tenho que pagar para um engenheiro assinar e eles nem vão ver o que eu e meus funcionários fizemos não querem nem que eu mande o projeto para eles observar, pedem somente o nome os dados do proprietário da obra, bom ainda bem que eles assinam pra mim se não eu teria que trabalhar de forma ilegal, que vergonha eu só quero trabalhar para sustentar a minha fámilia, os colegas que fizaram o crea não tem atribuição nenhuma só de pagar a anuidade do referido orgão, não podemos nem assinar um projeto elétrico de uma casa de 70mm2, nem um padrão monofásico, mas o conteúdo do curso alem de projetos elétricos indústrias tivemos correção do fator de potencia e sistema de proteção de discarga atmosférica.

    deixo o meu e-mail para unirmos em força por uma só causa, ser respeitado e reconhecido com dignidade.

    lib.eng@ig.com.br
    lib.academico@hotmail.com

    ResponderExcluir
  100. Boa tarde, gostaria de saber se existe algum curso de tecnologo em edificacoes em sp...desde ja agradeço

    ResponderExcluir
  101. Câmara aprova regulamentação da profissão de tecnólogo. O q vai melhorar para nós...No q se refere atribuições, projetar e executar dentro da nossa respectiva área...No original da PL 2245/2007 consta, que seria muito bom pra nós, só q vi num site q para eles aprovarem tiveram q alterar a parte das atribuições...se isso for verdade é Indignação pura... Vergonha estudarmos as mesmas disciplinas/ carga horaria de desenhos e instalações dos engenheiros e não termos as atribuições.Falo isso em relação aos TECNOLOGOS EM ENGENHARIA.

    ResponderExcluir
  102. Infelizmente a verdade é uma só....
    Curso de Tecnologia pelo menos por enquanto, não vale nada no mercado! Principalmente nas áreas de ENGª.
    Sempre acompanho as oportunidades de minha região (Vale do Paraíba - SP) e desde minha formação em Tecnologia em Automação Industrial em 2008 até hoje, de todas as vagas referentes a minha área de atuação, nunca vi uma vaga para Tecnólogo.... E recebo muitas vagas semanalmente.
    Minha sorte é que trabalho na mesma empresa já a 10 anos e tenho meu espaço, que por sinal fica ali espremido entre os técnicos e os engenheiros... mas se precisar me recolocar no mercado, provavelmente terei que utilizar meu Técnico em Mecânica, o que vai derrubar meu salario pela metade.....
    Enfim...."Tecnólogos Valem para o mercado o mesmo que uma moeda de 50 centavos"

    ResponderExcluir
  103. É lamentável saber de tudo isso.
    Estou no 2º período em Gestão da Qualidade, e confesso, me desanimei com tal situação.

    Abraços em todos.

    ResponderExcluir
  104. Concordo contigo. infelizmente é a realidade. Conheço essa história desde 1997 qdo me formei. Para vencer as discriminações só fazendo engenharia. O ultimo projeto de lei esta rolando faz 6 anos.

    ResponderExcluir
  105. Nossa eu fico assustado com tanto preconceito como nos brasileiros somos preconceituosos e impócritas eu pergunto porque que na Europa e principalmente nos EUA o tecnólogo é tão valorizado? Engenheiros e tecnólogos lá trabalham lado a lado será que tenhamos que sair do nosso país para contribuir ainda mais com crescimento de outros países ao invés de contribuir com o crescimento da minha patria por conta de preconceito e impocresia. Pois tecnico é tecnico engenheiro é engenheiro tecnólogo é tecnólogo e cada um no seu quadrado. Espero respostas de quem critica os tecnológos.

    ResponderExcluir
  106. A pouco tempo lí um comentário e fiquei surpreso que nos EUA 65% dos profissionais que atuam no mercado de trabalho, são tecnólogos e que na Europa mais da metade das vagas em cursos superiores são para tecnológos. Isso serve de lição pra voçês que criticam tanto esses profissionais procurem se informar direito e deixem de ser preconceituosos.

    ResponderExcluir
  107. QUEM PODERIA FAZER ALGUMA COISA NÃO ESTA FAZENDO OS SENADORES E A DILMA PRESINTEDENTA CADE VOÇẼS

    ResponderExcluir
  108. É frustrante mesmo... a gente estuda tanto e não é reconhecido... Estou me formando em Automação Industrial, em varias matérias estudei junto com estudantes de engenharia e o conhecimento deles muitas vezes era menor, e pensar que depois vou receber ordens desses caras que eu ajudava nas aulas...
    não importa o curso que a pessoa faz, mas sim o conhecimento que ela adquire durante esse curso, seja engenharia tecnologia ou técnico.

    ResponderExcluir
  109. Boa tarde, alguem poderia me indicar um curso de Tecnólogo de Engenharia Civil em SP. Estou buscando na internet mas não encontro. Ou tem outro nome?

    Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenta Tecnologo em Construção Civil ou Tecnologo em Edificios ou Edificações.

      Excluir
  110. Olá pessoal, boa noite. Li todos os comentários escritos a cima, ainda tenho muitas dúvidas sobre o curso tecnólogo em construção de prédios. Moro em BH. Tenho um colega que faz o curso em uma faculdade privada, e ele jura que assim que forma poderá assinar projetos e ter o curso reconhecido pelos CREA..... Gostaria de saber se e verdade, se as regras mudam de estado para estado. Gostaria muito que me ajudassem.
    ATT: Deivid

    ResponderExcluir
  111. Prezado David,
    A resolução do Confea 313/86, não da atribuição para assinatura de projetos e tem validade nacional. Até a aprovação da nova lei vale a resolução.

    ResponderExcluir
  112. Prezado Tecnólogo João Pedro, sou Técnico em Edificações - 1977, Tecnólogo Constr. Civil Edificios - Fatec 1981 e Pós graduado em Engenharia de Estruturas - 2012, gostaria do seu parecer com relação a quais atribuições o conselho poderia acrescentar ou quais resoluções poderia ser canceladas ao meu título.

    ResponderExcluir
  113. Prezado Tecgo da Fatec,
    A Fatec é excelente e forma bons profissionais e ainda com pós em eng de estruturas você pode solicitar aumento de atribuições de acordo com a resolução do Confea 1.010/2005.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado João Pedro, fico agradecido pela informação.
      Abçs.

      Excluir
  114. Olá, tenho 19 anos e vou começar o curso de tecnologia de construções de edificios.Tenho uma pergunta: Qual a diferença entre tecnico em edificaçoes e o tecnologo de edificios? e qual salario de um recem formado? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. um é de nível superior e o outro de nível técnico, porém a carga horária do tecnólogo ultrapassa 2.400 horas e o técnico chega a 1.200 horas ou mais um pouco. a grade curricular se diferencia apenas em algumas disciplinas da administração. e só. incrível né? fico pensando, para que então se cria esses cursos de tecnologia? sou muito desconfiado, acho que é uma forma de ganhar mais dinheiro, como um cara em um comentário escreveu, era para limitar apenas em algumas áreas de óptica, telefonia, alguns meios técnicos que necessitavam de especialistas, pois não havia muitos profissionais especializados naquele momento. daí as faculdades, principalmente particulares, se aproveitaram da situação.

      Excluir
  115. oi, boa noite!!! sou Lindynês Leite, moro no Amazonas.. estou com dúvida, desejo que alguém me ajude por favor... me escrevi para tecnologia em manutenção mecânica, mas não sabia que era para ser tecnólogo, pensava que era para engenharia mecânica. Se eu fizer o tecnólogo em manutenção mecânica posso aproveitar matérias para fazer engenharia mecânica? por favor quem souber me responder, responda para meu facebook Lindynês Leite.
    Aguardo notícias urgente. obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi GSilvaa,
      Sim você pode eliminar matérias depois. No entanto poderá perder algumas devido a não equivalência, seja por carga horária ou conteúdo. Se for universidade pública, vai em frente e faz Tecnólogo e depois aproveita os estudos, mas se for particular, não vale a pena.

      Abraços

      Excluir
  116. Parágrafo único - Compete, ainda, aos Tecnólogos em suas diversas modalidades, sob a supervisão e direção de Engenheiros, Arquitetos ou Engenheiros Agrônomos:

    1) execução de obra e serviço técnico;

    2) fiscalização de obra e serviço técnico;

    3) produção técnica especializada.

    Isso significa que tecnologos sao sim, subordinados aos engenheiros...

    Tenho muitas duvidas, pois acabei de passar no vestibular para este curso, e nao tenho clareza das restricoes dos tecnologos em relacao aos engenheiros.

    Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada,
      Sim a resolução que menciona acima a 313 do CONFEA, é muito clara. Todo serviço técnico a ser executado por Tecnólogo, que haja recolhimento de ART, deverá ter supervisão.
      Há muitas restrições no exercício da profissão sim. As atribuições são limitadas. Existe um projeto de lei o PL2245/2007 que está em tramitação no congresso nacional, para regulamentação da profissão. No entanto, enquanto isso vale a última resolução do CONFEA.

      Att,
      João Pedro

      Excluir
  117. Ola João Pedro...parabéns pelo blog! estou cursando o terceiro semestre de Tecnologia em Segurança do Trabalho...eu, como milhares de tecnólogos temos os mesmos receio mas, não é hora de fraquejar é fé em Deus e torcer pela boa vontade dos políticos do nosso País.
    E certo que precisamos de pessoas como vc com uma certa bagagem e conhecimento para nos auxiliar com informações contundentes que motiva para não desistir...valeu abraço!!!

    JOSÉ SILVEIRA DIAS
    NOVA XAVANTINA-MT

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu José Silveira, obrigado pelo incentivo e pela participação no meu BLOG.

      Att,
      João Pedro

      Excluir
  118. ola eu sou Ronald Renato ,sou formado em gestao da tecnologia da informaçao,e estou fazendo pos graduaçao em engenharia da produçao,posso tira o CREA com engenheiro.?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Cezar,
      Obrigado pela participação no meu Blog. Mas infelizmente não poderá ter o título de engenheiro mesmo com pós em engenharia. São duas formações distintas.
      A graduação lhe dá o título profissional e a pós lhe dá uma especialização naquela modalidade que escolheu.
      Você poderá apresentar o certificado de pós graduação ao CREA e estender suas atribuições no entanto seu título de Tecnólogo em TI, não pode ser mudado.

      Att,
      João Pedro

      Excluir
  119. João Pedro. Meu Caro.

    Sou tecnologo

    Trabalho em uma construtora onde a chefe é uma arquiteta.. não temos engenheiro.
    com a mudança do CREA para o CAU, a arquiteta pode me supervisionar?
    ou fico dependente de um engenheiro civil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Alberto,

      De acordo com a resolução nº 313 do CONFEA, artigo 3º parágrafo único, os Tecnólogos em suas diversas modalidades, terá supervisão e direção de Engenheiros, Arquitetos ou Engenheiros Agrônomos.
      Na publicação desta resolução ainda não existia o CAU, no entanto independe se é engenheiro civil ou arquiteto, se o Tecnólogo for fazer qualquer serviço que terá responsabilidade técnica com ART deverá ter supervisão.

      Att,
      João Pedro

      Excluir
  120. Ola boa tarde sou Tecnogolo em construção de edificios e quero saber se o tecnologo tem ART de execução de serviço.

    ResponderExcluir
  121. Olá,
    Sim possui ART da categoria. Conforme Sindicato do Est. de São Paulo possui nº 126

    Vide o link:
    http://www.tecnologo.org.br/Tecnologo/Artigos.aspx

    ResponderExcluir
  122. Boa noite
    Se possível solucionar uma dúvida, sobre o cargo de Técnico de Operação Júnior.
    Sou formado em Gestão petroleo e gas, posso fazer minha inscrição para o cargos de Técnico de Operação Júnior?

    ResponderExcluir
  123. Sou Tecnólogo em Máquinas Elétricas, distribuido na área de engenharia, modalidade elétrica, Art. 16 da Resolução nº 313/86, e, Técnico em eletrotécnica Pleno, amparado pelo Decreto nº 90.922/85, art. 4º, § 2º , habilitado para exercer atividades elétricas cravado no Art. 4º, parágrafo 2º, com tensão até 800 kVA , Conforme Decisão Normativa 070/Confea. Assim exposto, no que tange as minhas atribuições profissionais, juntamente nos alencados da Decisão Normativa nº 070/2001 do Confea, junto ao corpo de bombeiros, posso emitir ART e Laudo - anexo "R" ? .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, também sou formado Técnico em Eletrotécnica, com os mesmos amparos e decretos que os seus, atuo na área de projetos elétricos a 8 anos, tenho registro no corpo de bombeiros de Mato Grosso para elaboração de projetos de SPDA, de iluminação de emergência e Laudos elétricos dentro da demanda limite de 800KVA.

      Excluir
  124. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir